Portal de Notícias e Web Rádio – CNPJ 44.219.101/0001-23

O secretário de Saúde, Carlos Mosconi, afirmou que está totalmente solidário com o Hospital Santa Lúcia e que que está sendo cometido um equívoco grave, prejudicial ao hospital, mas também para os pacientes que venham a sofrer problemas cardíacos. “O Santa Lúcia tem hoje uma linha direta de comunicação com esses pacientes, eficiente, ágil, competente e rápida no atendimento”, disse o secretário de saúde.

Segundo ele,o que se pretende hoje é dificultar este procedimento, levando o primeiroatendimento para fora do hospital Santa Lúcia.”Não concordamos de maneira alguma com isso”, garantiu.  Ele lembrou que o Santa Lúcia presta este tipo de atendimento há 10 anos e que foi credenciado tanto pela Secretaria de Estado da Saúde quanto pelo Ministério da Saúde e que por diversas vezes obteve o primeiro lugar em eficiência em Minas Gerais e os índices de mortalidade tem sido os menores do Estado e é por isso que é considerado hospital de excelência em cirurgia cardíaca.

“Para propor mudança a secretaria alega a questão de legalidade, que recurso do SUS não poderia ser repassado para o hospital que é privado”, informou Mosconi, acrescentando que já teve duas reuniões online com a secretaria, quando teve a oportunidade de expor o seu ponto de vista. Teve ainda uma reunião por telefone com o Procurador de Justiça do Estado.

Quanto a alegação de que o hospital, por ser particular, não pode receber auxilio financeiro público e do SUS, Mosconi ponderouque o artigo 199 da Constituição Brasileira, em que foi o relator da saúde na Constituinte, diz que a assistência à saúde é livre na iniciativa privada. “Agora querem tirar dessa premissa básica, dessa lei, desse artigo da constituição? A gente não pode concordar com isso. E é isso que eu tenho dito para as autoridades deBelo Horizonte.”No nosso entendimento basta que haja uma mudança, sai o incentivo e entra o contrato ou o convênio e a situação fica plenamente resolvida”, defendeu o secretário.