A empresa Auto OmnibusCircullare não enviou representante para a audiência pública, mas encaminhou ofício a presidência da Câmara justificando. Parabenizou o Legislativo pela iniciativa e lembrou ter participado de diversas audiências públicas sobre o tema transporte coletivo, além de ter protocolado na Câmara vários ofícios em 2019 e 2020 comunicando ou respondendo assuntos ligados a diferentes temas, sendo que principalmente no ano passado foram destacadas as precauções tomadas pela empresa com relação a covid-19 e suas conseqüências no desequilíbrio econômico e financeiro no sistema. Reafirmou acreditar estar cumprindo seu papel neste momento de grandes transformações provocadas pela pandemia e que atinge de forma letal o transporte coletivo, buscando seguir todas as determinações do comitê de saúde no combate a covid-19.

Justificou a ausência informando que no momento estão concentrados na árdua tarefa de dar aviso prévio aos seus 400 colaboradores seguindo as obrigações legais estabelecidas pela CLT, buscando o encerramento de suas atividades no próximo dia 21 de maio. “Contudo reafirmamos que a tarifa não pode ser o único instrumento para manter o equilíbrio econômico financeiro do sistema, bem como sugerir um subsídio como instrumento para viabilizar o transporte público, alternativa esta adotada por inúmeros municípios no país”, informou, acrescentando esperar que a audiência seja ferramenta para busca de soluções do serviço essencial para a população.