A Justiça ordenou o bloqueio de R$ 8,5 milhões em bens do ex-secretário de Governo de Minas, Danilo de Castro, do empresário Marcos Valério e de mais quatro pessoas.  Em decisão liminar, a juíza Denise Canêdo Pinto, da 3ª Vara da Fazenda Pública de Belo Horizonte, atendeu a solicitação do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), que apresentou denúncia aos envolvidos por improbidade administrativa.

Segundo a denúncia apresentada pelo MPMG, o grupo é acusado de fraudar contratos de publicidade celebrados entre o governo de Minas Gerais e empresas de publicidade ligadas a Marcos Valério durante a gestão do ex-governador, o deputado Aécio Neves. O parlamentar não faz parte da denúncia, uma vez que todos os contratos, segundo a acusação, foram assinados pelo ex-secretário, Danilo de Castro, homem forte no governo.