Intervenção gera crise na PF e na Receita

A decisão do presidente Jair Bolsonaro de substituir o superintendente da Polícia Federal no Rio fez com que o comando da corporação pressionasse Sérgio Moro, a quem é subordinada. O ministro da Justiça foi alertado de que estava prestes a perder o controle da PF. A crise só arrefeceu após o presidente declarar que aceita nomear o atual superintendente de Pernambuco para a vaga. Além da PF, nos últimos dois meses, Bolsonaro interferiu na Receita Federal e no Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), os três principais órgãos de combate à corrupção no País e que de alguma forma cruzaram o caminho de sua família.

Fechar Menu