Também gerou muita discussão a Moção de Apelo do vereador Diney Lenon  ao prefeito para que realize estudos de se considerar  que os subsídios ao transporte coletivo incluam a demanda das auxiliares de educação básica, cozinheiras e serviços gerais da rede estadual de ensino.

O vereador Roberto dos Santos afirmou que votaria contra sobre a justificativa de que a gratuidade iria onerar ainda mais a tarifa dos que pagam passagem. O líder da bancada, vereador Flávio Togni de Lima e Silva, afirmou que o grande problema das moções é que geram discussões por entendimentos errôneos do objeto.

Para ele, seria melhor um ofício de gabinete, com a assinatura de todos os vereadores do que uma moção. “Uma moção que se dá publicidade e gera expectativa na população é muito perigosa, tanto para quem for receber o benefício, quanto para quem for pagar e a gente não sabe a reação”, afirmou. Mesmo após muita discussão, os vereadores votaram favorável à moção.