O Comitê Extraordinário COVID-19 – grupo que se reúne semanalmente para avaliar a situação da pandemia em Minas Gerais – discutiu, nesta quinta-feira a volta às aulas em todo o estado.

Nos próximos dias, o advogado-geral do Estado, Sérgio Pessoa, se reúne com representantes do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) para discutir a autorização para a retomada das aulas de forma gradual e por sistema híbrido de ensino na rede estadual.

Isso porque, em outubro do ano passado, o juiz da 5ª Vara da Fazenda Pública e Autarquias de Belo Horizonte, Rogério Santos Araújo Abreu, deferiu o pedido do Sindicato dos Professores do Estado para suspender o retorno das atividades presenciais na rede particular de ensino nos municípios de Minas Gerais.

O governo já apresentou à Justiça protocolo das secretarias de Educação e Saúde com regras para o retorno do ensino presencial. O protocolo aponta a necessidade de um retorno seguro, com regras de distanciamento e de higienização, além de ser facultativo, ou seja, que depende da concordância dos pais para que jovens e crianças frequentem as aulas presenciais.