A última audiência promovida pela Câmara de Poços discutiu o tema Gestão Municipal da Pandemia. O debate, na quarta-feira (30), foi proposto pelo vereador DineyLenon (PT), através de Requerimento aprovado pelos demais vereadores.

O encontro contou com a participação do secretário municipal de Saúde Carlos Mosconi, da secretária adjunta Rosilene Faria, do secretário municipal de Desenvolvimento Econômico e Trabalho Thiago Mariano, do secretário municipal de Defesa Social Rafael Tadeu Conde Maria, da diretora do Departamento de Controle e Avaliação Elisandra de Souza Pizzol e da vice-presidente da 25ª Subseção da OAB/MG Dra. Thaís Rezende Azevedo. Durante a audiência, cada setor pôde apresentar as ações desenvolvidas nos últimos meses, pontuando avanços e desafios.

Segundo DineyLenon, o objetivo da audiência foi levar ao Poder Legislativo autoridades responsáveis pela gestão da pandemia em Poços. “Avalio como muito positiva essa audiência, principalmente os pontos abordados referentes à saúde. O secretário apresentou esclarecimentos, mas ainda persiste, infelizmente, a questão da lotação das UTIs. Sabemos que há o compromisso em atender à população, mas o sistema permanece em cola

O vereador fez alguns questionamentos, entre eles com relação ao número de leitos disponíveis em Poços, divididos por hospitais, e ainda sobre a saúde dos trabalhadores que atuam nessa área. “Temos recebido informações que eles têm adoecido, portanto é importante que recebam um cuidado especial”, disse

Com relação à fiscalização, Diney apontou que ainda existe uma dificuldade devido, principalmente, ao quadro de pessoal. “Notamos que há dificuldades de executar essa fiscalização e as medidas necessárias. Com relação aos projetos voltados ao apoio econômico, como o Poços Juro Zero, alguns vereadores apontaram deficiências no atendimento a microempreendedores que estão negativados. Parece que há uma falha na comunicação entre o entendimento da população e de fato o que é o projeto. Avanços existem, mas alguns pontos ainda precisam ser acompanhados”.

O público também pôde encaminhar dúvidas durante o evento. Alguns dos temas abordados foram: a diferença no cronograma de vacinação de um estado para outro; o fechamento do comércio aos finais de semana; o fechamento das entradas da cidade; o monitoramento das pessoas que estão em isolamento domiciliar; a execução do Poços Juro Zero; o número de pacientes recuperados que apresentam síndromes ou condições adquiridas pela COVID-19; a existência de registros de mortes de grávidas, puérperas e recém-nascidos em razão da doença.