Gastos com o legislativo

Uma postagem feita no grupo de WhatsApp da Folha Popular pelo emedebista João Artegnam (João Grandão), dizendo que estaria nos planos do novo presidente da Câmara Municipal, vereador Carlos Roberto, aumentar o salário dos assessores parlamentares com um custo anual de R$ 500 mil, gerou polêmica e críticas a proposta.

O reajuste teria como motivo o fato de o presidente estender o expediente do legislativo também na parte da manhã. A informação não foi confirmada pela presidência da Casa, mas como todo boato tem um fundo de verdade, se a nova mesa diretora estiver pensando nisso, é melhor recuar porque o momento não permite aumento de despesas.

A estrutura da Câmara Municipal de Poços é realmente uma das mais enxutas e isso permite anualmente a devolução de 50% do dinheiro destinado a manutenção do legislativo. Se houver possibilidade de enxugar ainda mais os gastos, ótimo, o que não deve é aumentar.

O ex-presidente Antonio Carlos Pereira, agora líder da bancada da situação, já se manifestou contrário à proposta, caso ela seja verdadeira.

Fechar Menu