Portal de Notícias e Web Rádio 

Os vereadores Lucas Arruda (Rede) e Tiago Braz (Rede) são autores de um Requerimento que solicita informações da Prefeitura sobre a fila de espera para atendimentos, exames e demais procedimentos médicos no município. Recentemente, eles receberam uma resposta da Secretaria da Saúde, contendor relatório do número de pessoas que aguardam atendimento e cirurgia em diversas especialidades, além de dados sobre Tratamento Fora do Domicílio (TFD) e convênios com clínicas médicas.

Para os legisladores, é preciso que o Executivo adote medidas para dar celeridade a essa questão. “Essa demanda tem chegado diariamente, de várias pessoas que aguardam procedimento médico, seja atendimento, exame ou cirurgia. Em uma somatória de todos os procedimentos médicos em fila, são mais de 35 mil pessoas e isso gera grande preocupação. Temos cobrado celeridade, que seja feito um mutirão, pois existem casos que estão há 1 ano, dois ou até mais tempo aguardando. O Executivo precisa tomar providências para que a população seja atendida nos equipamentos de saúde”, declarou Tiago Braz.

Segundo Lucas Arruda, a situação das cirurgias represadas já existia antes mesmo da pandemia. “Sempre tivemos uma grande preocupação com o número de cirurgias eletivas represadas, isso mesmo antes da pandemia. Estamos percebendo que esse número está aumentando cada vez e a situação se agravou. É preciso um olhar muito atento para isso, visto que um procedimento que é eletivo, com o passar do tempo, se for demorado, ele pode trazer um problema de saúde muito mais sério para o paciente e isso implica em mais recurso público que vai ser investido pelo SUS e município. E para o paciente, é impossível mensurar o prejuízo, pois pode custar a vida dele ou sequelas permanentes. É preciso um plano de enfrentamento para essas situações. Não podemos admitir cinco mil pessoas aguardando uma consulta com ortopedista, mil esperando tomografia, mais de duas mil aguardando um raio-X. Isso faz com que o diagnóstico atrase e os problemas comecem a se agravar”, afirmou.

O Requerimento dos vereadores e a resposta encaminhada pelo Executivo estão disponíveis para consulta no Portal da Câmara, em Proposições (Requerimento n. 835).