Ferrão deve se filiar no Novo

O economista, fundador e um dos diretores da ADISMIG – Associação para o Desenvolvimento Integrado do Sul de Minas Gerais – João Ferrão, deve se filiar ao Partido Novo. As últimas tratativas entre o economista e lideranças do grupo que está criando o Partido Novo em Poços de Caldas aconteceu ontem, estando tudo acertado para que o economista assine ficha de filiação na legenda do governador Romeu Zema.

João Ferrão foi Secretário de Desenvolvimento e Trabalho na gestão do prefeito Sebastião Navarro e se a filiação for concretizada, com certeza seu nome estará entre aqueles que serão submetidos à apreciação do partido para ser candidato a prefeito na eleição de 2020.

No fundo do poço

Atendendo a requerimento apresentado pela vereadora Maria Cecilia Opipari, dirigentes do IASM (Instituto de Assistência aos Servidores Municipais), estiveram ontem na reunião ordinária da Câmara Municipal esclarecendo a situação financeira do instituto. Pela exposição ficou claro que se não houver um socorro financeiro por parte da administração, o órgão de assistência aos servidores pode se tornar inviável e até mesmo paralisar suas atividades.

A prefeitura deve hoje cerca de R$ 15 milhões de repasses patronal que não foram feitos ao instituto. A dívida começou na gestão do ex-prefeito Paulinho Courominas que deixou de pagar cerca de R$ 2,5 milhões, seu sucessor, Eloisio Lourenço não transferiu outros R$ 8 milhões e a atual administração, comandada pelo prefeito Sérgio Azevedo, que também é servidor municipal, já deixou de pagar até agora quase R$ 5 milhões.

Está agendada para esta quinta-feira uma reunião entre a direção do IASM e o prefeito Sérgio Azevedo para analisar a possibilidade de acordo para pagamento de pelo menos parte da dívida. Só para os planos de saúde (Unimed e Climepe), a dívida do IASM chega a 7 milhões.

Bloco independente

Nosso deputado, Mauro Tramonte, esclarece seu posicionamento na Assembleia Legislativa em relação ao governo Romeu Zema. Seu partido, o PRB integra o Bloco Independente e por isso não está amarrado ao governo, mas seu voto é sempre consciente dependendo da matéria que vai a plenário.

Já votou algumas vezes a favor do governo e se mantém assim sempre que o projeto é de interesse coletivo. Quando não é e sente que a matéria será prejudicial a população, não tem dúvida em apertar o botão vermelho, que indica no painel voto contrário à proposta que está sendo submetida a votação.

Fechar Menu