Janaina Hernesto, filha da paciente Maria das Dores Ramos de Oliveira, que está se tratando de pós-covid na Santa, fez a doação de seis colchões pneumáticos para o oospital. Além disso, a família da paciente entregou uma placa de reconhecimento para “parabenizar o cuidado e atendimento de excelência da equipe da CTI Covid e da Ala B”.

Janaína explica que a ideia de doar esses colchões veio porque a mãe, que sofre de obesidade, saiu da UTI com uma escara (ferida na pele) grau IV, e ela ficou sabendo que esse tipo de colchão pneumático pode ajudar em situações como essa, prevenindo.

“Ficamos sabendo deste colchão pela enfermeira Noemi e pela enfermeira Jordana. Fomos atrás, vimos que o preço era um pouquinho mais alto, mas conseguimos comprar, apesar da minha família não ter uma condição financeira tão relevante, para a melhor recuperação dela.  Assim, fui mobilizando os meus amigos, para que esse problema seja ressignificado ajudando os demais pacientes que iram passar pela mesma situação que minha mãe”, conta Janaína, que fez um grande agradecimento à toda a equipe que cuidou da sua mãe.

“No dia 18 de maio minha mãe internou já em intubação foi recebida pelo Dr. Bruno e pela Dra. Flávia. Com o passar do tempo a gente foi recebendo boletins e ficamos muito agradecidos com o atendimento, com uma equipe humanizada deles, principalmente da Dra. Flávia, que teve a maior paciência do mundo. Teve um dia que ela ficou um bom tempo comigo, e de certa forma nós trouxe esperança.  Minha mãe tinha pouquíssimas chances de se curar por conta de ser uma paciente obesa e eles tratam com muito carinho, o que para uma paciente com toda comorbidade faz total diferença”, relata Janaina.

“O Dr. Bruno também foi uma pessoa muito humana, agradeço de coração. A enfermeira Karen e a enfermeira Dessa da UTI Covid também foram excepcionais, as duas me passaram alguns áudios para dizer como a minha mãe estava, isso me encheu de alegria. E quando a minha mãe saiu da CTI, ela foi muito bem acolhida pela profissional Kiara, uma enfermeira excepcional, retribuição de todo amor recebido. A equipe da ala B destaco a enfermeira Érica, que persistiu todos os dias em tirar sangue da minha mãe, em cuidar desde os primeiros dias de recuperação até o momento. Jordana que também é uma gracinha, Noemi que recebeu a gente, a fisioterapeuta Caca. Dra Ana, Dra Bruna, Dr João Guilherme.. Não sei se vou lembrar todos os nomes, mas quero agradecer a todos os profissionais que cuidaram da minha mãe, o meu muito obrigado”, finaliza a filha da dona Maria das Dores.

Doação importante

O diretor técnico da Santa Casa, Dr. Alberto Volponi, destaca que essa doação é  de fundamental importância para o Hospital, já que esse tipo de colchão ajuda muito em casos de enfermos que ficam deitados muito tempo na mesma posição, como é o caso do paciente de covid.

“O colchão pneumático sufla enquanto o paciente está deitado. Ele tem movimentos de insuflação e desinsuflação, isso melhora a circulação do tecido, evitando de fazer escara. Essa filha da paciente se sentiu comovida com a situação porque a mãe dela é obesa e teve uma escara muito grande, o que piora bastante o quadro. Então, ela entendeu que isso é muito importante para os pacientes e fez essa doação de seis colchões. Isso faz uma diferença muito grande, porque esses colchões são caros,um colchão desse de solteiro para peso de até 110 quilos está por volta de R$400,  não são pagos pelo SUS, é um material que precisa ser adquirido e tem uma durabilidade relativamente curta, de no máximo seis meses”, diz Dr. Alberto Volponi.

O diretor técnico do Hospital lembra ainda que recentemente a Santa Casa recebeu a doação de 10 colchões como esse da Igreja Metodista e, com a doação de mais esses seis colchões, dá para cobrir praticamente todas as UTIs.

“As pessoas não sabem o quanto esses colchões fazem a diferença. Depois que você abre uma escara, uma ferida grande nas costas ou em outro local, isso demora muito tempo para recuperar. Por isso, a Janaína se sensibilizou, agradeceu muito o tratamento que a mãe recebeu aqui na UTI e veio a colaborar fazendo uma campanha com os amigos e isso foi muito importante e está aí ajudando a Santa Casa com mais seis colchões.  Agradecemos muito e é gratificante receber os elogios à equipe sabendo que eles estão fazendo muito esforço para atender bem mesmo com as dificuldades. A velocidade com que um paciente de covid abre escara é extremamente rápida e isso tem causado muitos transtornos, não só aqui como em hospitais de muita qualidade. Por isso a gente agradece muito essa colaboração”, salienta Dr. AlberiVolponi. (Rafael Santos).