O supervisor de Expansão e Manutenção do DMAE, Wellington Alves Rangel, informou ontem que a Represa do Cipó, que é o principal centro de abastecimento de água do município, está com sua capacidade em 72%, e continua caindo, que o DMAE e o DME precisam ficar atentos para a regulação de vazão, tanto para abastecimento público, quanto para vazão mínima do ribeirão.

Diferente do ano passado em que o índice de chuva foi considerado bom, em 2021 choveu bem menos do que o esperado, o que preocupa em função do abastecimento da cidade. A expectativa é que após o período de estiagem, no final de setembro e início de outubro, as chuvas sejam mais intensas para melhorar o volume armazenado na represa. Diante deste quadro, a recomendação do DMAE continua sendo a de que os consumidores evitem desperdício e economizem.