O vereador Claudiney disse que há 30 anos estuda o comportamento humano e que na posse sentiu, quando Diney foi presidente da Casa por 5 minutos e disse que não declararia aberto os trabalhos em nome de Deus, que deveria ficar de olho no petista. ” O Estado é laico, mas se na própria Constituição ela foi fundada em nome de Deus e consta literalmente ali, por que nós aqui, em Poços de Caldas não poderíamos ter aberto a sessão em nome de Deus? Temos aqui pessoas que são lideranças religiosas, como eu. Ali eu já senti que eu precisaria observar o seu comportamento. Da minha parte sempre houve lealdade e de todos aqui”, falou Claudiney.