Distribuição de cestas verdes

“O que dói mesmo é a fome”, reflete a auxiliar de serviços públicos da Prefeitura de Poços de Caldas, Tânia Maria de Oliveira. Há dois anos, ela trabalha no Banco de Alimentos da Secretaria Municipal de Promoção Social e faz mais que separar os alimentos que compõem a Cesta Verde, distribuída às famílias em situação de insegurança alimentar. O trabalho de seleção envolve muito carinho com as pessoas e o conhecimento que só uma boa cozinheira tem.

“Para os idosos que são diabéticos, a gente evita colocar o abacaxi, por exemplo. A mandioquinha e cenourinha vão para a papinha dos bebês, assim como a banana-maçã. Já o pepino vai para os hipertensos”, conta Tânia. Ela conhece a realidade das famílias atendidas pelo programa. “É bem gratificante saber que o nosso trabalho faz muita diferença na vida das pessoas”, destaca.

Estabelecida pela Lei Complementar 186/16, dentro da concessão dos benefícios eventuais do Sistema Único de Assistência Social (SUAS), a Cesta Verde é um auxílio-alimentação por meio da distribuição de cestas com legumes, hortaliças e frutas, fornecidas quinzenalmente como forma de complementação das refeições.

Têm direito ao benefício as famílias com renda per capta inferior a ¼ do salário mínimo e que tenham alguma pessoa em situação de insegurança alimentar, como portadores de doenças crônicas não transmissíveis como diabéticos, hipertensos, obesos e desnutridos. Para receber a Cesta Verde, é necessário laudo médico, do nutricionista e parecer técnico-social do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS).

As famílias recebem a cesta quinzenalmente. A entrega é realizada às terças-feiras no Banco de Alimentos e também nos CRAS para as pessoas que residem em locais mais distantes. São distribuídas aproximadamente 140 cestas quinzenalmente, sendo 70 retiradas no Banco e 70 encaminhadas aos CRAS.

Fechar Menu