Segundo fala do governador Zema, a determinação da onda roxa em todos os municípios mineiros é impositiva e que alguns não têm cumprido a determinação e caberá ao Ministério Público, juntamente com o Tribunal de Justiça, analisar esses casos que, com certeza, serão revertidos. “Quero lembrar que o sistema de saúde do estado já está em colapso. Temos aqui, somente em Belo Horizonte, mais de 200 pessoas aguardando o momento de ser internadas, pessoas que podem perder a vida, devido este atraso. Estamos em uma situação extremamente crítica e a nossa prioridade é salvar vidas. É uma decisão difícil, que afeta muito a vida das pessoas e que eu não gostaria de ter tomado. Mas como você deixa de tomar uma decisão que visa a salvar vidas? Então, tenho certeza que o bom senso, esta prioridade que é a vida humana, vai prevalecer”, afirmou o governador.

Para ele, este momento demanda união e avaliar como está a situação da saúde no estado, que está em colapso. “Não temos nenhuma região do estado hoje que tenha folga no sistema de saúde e vejo que priorizar qualquer atividade econômica neste momento é você estar colocando em risco a vida das

pessoas. É uma decisão difícil, temporária e necessária neste momento. Nós não estamos determinando uma restrição de circulação por dois meses, estamos solicitando, impondo, por 15 dias, para podermos salvar vidas”, informou.