Ao defender a autoria da Moção de Repúdio pela forma como foi conduzido o depoimento da médica Nise Yamaguchi durante sua oitiva na Comissão Parlamentar de Inquérito, que visa a apuração das ações do governo federal no combate ao SARS-Covi2, a vereadora Regina Cioffi lembrou que não gosta de fazer este tipo de moção, mas justificou afirmando que em certas ocasiões não sobra outra alternativa.

Segundo a vereadora quando se falta com respeito a liberdade de pensamento, a democracia, a uma mulher, que não é a primeira que sofreu este tipo de agressão na CPI, onde basta ser a favor do tratamento precoce para ser considerada como uma inimiga do país, dos senadores, do Brasil, lamentou Regina.

Na opinião da vereadora a CPI é importante, porém está desviada do seu objetivo, que seria a busca de provas de fraudes e desvio de dinheiro público. “Esta moção eu faço não só em nome da doutora Nise, imunologista, oncologista, cientista e com inúmeros títulos, que foi questionada de que não sabe o que é um protozoário, por um doutor, por um médico. Onde está a democracia, onde está a liberdade? Democracia sem liberdade é ilusão, então é uma ilusão que estamos vivendo neste país. É um absurdo não poder pensar, não poder manifestar sua opinião e ser tratada da forma como a doutora Nise foi”, disse Regina acrescentando que não está defendendo quem é contra ou a favor do tratamento precoce.A moção foi aprovada por 9 votos.