* Uma boa notícia. Acometido de uma forte gripe, o secretário de governo Celso Donato se manteve isolado em sua residência na terça e quarta-feira. Ontem, o secretário se submeteu ao teste de Covid-19 e felizmente o resultado foi negativo. No início da noite Celso acompanhou pessoalmente a votação do projeto Recupera Poços e ao final da sessão cumprimentou todos os vereadores pela aprovação unanime da proposta.

* Quem foi muito cumprimentado ao término da reunião foi o vereador Flavinho, líder do governo e idealizador do projeto de lei denominado Recupera Poços que vai beneficiar boa parte da população.

* Por sinal, a aprovação unânime da proposta é mais um sinal de que os vereadores da atual legislatura estão valorizando o Poder Legislativo e participando ativamente dos problemas da cidade, o que não acontecia em legislaturas anteriores.

* A volta às aulas presenciais na rede estadual será permitida na onda vermelha do Minas Consciente, anunciou na tarde desta quinta-feira a Secretaria Estadual de Educação de Minas Gerais. A medida vale para alunos do 1º ao 5º ano do ensino fundamental. A volta às atividades presenciais continua sendo opcional, e as aulas remotas continuam para aqueles alunos que preferirem o modelo. A retomada depende ainda da autorização de cada município.

* Foi-se também o tempo em que Poços de Caldas, servia como referência na época de inverno para o registro de baixas temperaturas. A estação meteorológica onde os dados oficiais eram registrados foi transferida para outro município e Poços deixou de ter a sua baixa temperatura divulgada de forma oficial pelos veículos de comunicação, um informe que servia também para atrair turistas. Nesta quarta e quinta-feira, em alguns pontos da cidade a temperatura chegou a registrar dois graus negativos, os parques amanheceram cobertos de gelo, mas nem por isso o fato virou notícia nos principais veículos.

* Para o secretário de governo Celso Donato, com o chamado Vale Merenda no valor de R$ 70 que será distribuído deixará a merenda escolar universalizada, independente se a família do aluno ter direito ou não. “O cartão será para termos uma segurança maior de que a pessoa vai gastar aquilo com alimentação, será como um cartão de débito e vai poder ser utilizado desde o pequeno mercadinho até em grandes redes de supermercados. Isso vai movimentar também a economia local”, informou o secretário.