* Celso Donato, secretário de governo, tem razão quando solicita aos vereadores que aprovem a versão do projeto de lei que trata do Plano Diretor que está na Câmara Municipal. Levando-se em conta que a última atualização do Plano Diretor aconteceu em 2006, na segunda gestão de Sebastião Navarro, e que o projeto foi e voltou várias vezes do legislativo para o executivo, a retirada do projeto para mais uma análise na Secretaria de Planejamento poderia atrasar ainda mais a sua aprovação.

* Só que a vereadora Regina Cioffi também tem toda razão ao insistir junto ao presidente da Câmara, Marcelo Heitor, para que contrate uma empresa especializada nesse tipo de estudo para assessorar os vereadores nas inúmeras mudanças que são necessárias para atualizar o projeto, até porque os vereadores não são especialistas no assunto e aprovar o projeto de lei como está, com inúmeras cláusulas que jogam as mudanças para futuros projetos de lei seria repetir erro do passado, transformando mais uma vez o Plano Diretor em uma colcha de retalhos.

* A cidade necessita com urgência de um Plano Diretor que reorganize o crescimento do município, planejando ações que visam disciplinar o que hoje infelizmente está desorganizado com a cidade se desenvolvendo praticamente sem rumo onde só para citar um exemplo, mais de duzentos estabelecimentos comerciais em diversos bairros funcionam na base do alvará provisório. É isso.

* Pelo que se vê na tal Comissão de Inquérito (CPI), criada para investigar possíveis irregularidades no pagamento de férias aos agentes políticos, existe por parte de alguns oposicionistas o interesse em prolongar cada vez mais a investigação e a redação do relatório final que vai apontar ou não culpados pelas ilegalidades, se é que elas existiram. Até agora, pelo que se diz, nada de errado ficou comprovado e se ficou a comissão não se deu ao trabalho de divulgar.

* Uma fonte que acompanha de perto os bastidores do legislativo, garante que as investidas do vereador Kleber Silva (Novo), em cima dos oposicionistas e as suas constantes intervenções em plenário, muitas vezes são feitas a pedido do líder da bancada da situação, vereador Flávio Togni de Lima e Silva.

* Este será o segundo final de semana em que a cidade permanecerá com o comércio fechado e um controle rígido na entrada dos turistas e também para evitar aglomerações. As medidas mais restritivas foram tomadas diante do aumento no número de pessoas contaminadas, das internações e principalmente das mortes provocadas pela Covid-19 que já ultrapassam 400 apenas de moradores da cidade. O problema não é só em Poços, mas também nas demais cidades da região sul, principalmente em municípios maiores.

* Na tentativa de melhorar a avaliação do governo, afetada por conta do coronavírus, o executivo está tentando emplacar uma agenda positiva com asfaltamento de ruas, limpeza de ribeirões, ações de manutenção que ganham visibilidade para mostrar que a prefeitura continua trabalhando, apesar dos contratempos na área da saúde.