* Como foram aceitos os argumentos constantes do recurso interposto pelo Município contra a União, a partir deste mês, as parcelas mensais referentes ao Fundo de Participação dos Municípios (FPM), voltarão a ser transferidas integralmente para os cofres municipais, sem a retenção de recursos referentes ao pagamento de dívidas e recolhimentos da contribuição patronal ao INSS. No decorrer de um ano essas retenções provocaram um furo de aproximadamente R$ 50 milhões na arrecadação municipal.

* O prefeito e seu secretário da Fazenda comemoram a vitória da Procuradoria Geral do Município, mas é bom lembrar que a dívida do município continua a mesma e vai crescer mês a mês sem a retenção das parcelas devidas. Se não tivesse ocorrido esta retenção a dívida do município teria aumentado em mais de R$ 50 milhões, considerando juros e correção em apenas um ano. É o tipo da vitória de pirroporque, mais dias, menos dias, a conta vai chegar e com certeza estará muito mais alta. Lembrando que o prefeito Sérgio tem pela frente mais três anos e meio de mandato, podendo a bomba estourar nas suas próprias mãos.

* Hoteleiros estão preocupados com a recente resolução assinada pelo secretário de saúde Carlos Mosconi que limita a lotação dos hotéis em 30%. Segundo o proprietário de um dos principais hotéis da cidade, as reservas para o mês de julho já estão esgotadas, o mesmo acontecendo com outros hotéis da cidade e com lotação muito acimados 30% estabelecido na resolução.

* Como era esperado, o movimento de turistas na cidade neste final de semana foi muito grande, com os pontos de passeios entre eles o alto da serra, onde está o monumento ao Cristo Redentor lotados, assim como estabelecimentos comerciais voltados para o turismo. O mesmo se deu no mercado municipal, ponto quase que obrigatório de quem visita Poços. Nas redes sociais muitas postagens protestaram contra a liberação da cidade para os visitantes. A maior queixa estava no fato de que a partir do próximo final de semana, os turistas continuarão vindo a Poços, expondo a população a risco, mesmo com o comércio fechado. “A maioria faz refeições nos hotéis e sai para passear nos jardins e visitar os pontos turísticos”, publicou na face uma revoltada comerciante.

* Quarta-feira (9) o prefeito Sérgio Azevedo concordou com seus colegas de cidades polo em reunião realizada na prefeitura de Pouso Alegre sofre a ineficácia no fechamento do comércio para combate ao vírus. Na sexta mudou de opinião e anunciou o fechamento. A pressão feita pelos prefeitos de cidades vizinhas e pelo próprio secretário de saúde devem ser os principais motivos que levou o prefeito a mudar de opinião. Mosconi há dias já vinha afirmando nas conversas em off que passado o dia dos namorados fecharia tudo de novo.