*  Pesquisa presencial realizada pelo Instituto Vox Populi, divulgada nesta sexta-feira, aponta que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva venceria Jair Bolsonaro já no primeiro turno caso as eleições presidenciais fossem realizadas hoje. De acordo com o levantamento, ele tem 43% contra 41% de todos os demais candidatos somados. Num eventual segundo turno, Lula aparece com 55% a 28% de Bolsonaro*

* Na pesquisa estimulada Lula teria 43% dos votos válidos contra 24% de Bolsonaro.  Depois aparecem o apresentador Luciano Huck (sem partido) e Ciro Gomes (PDT), com 8% e 5%, respectivamente. João Doria (PSDB) figura em seguida com 2% e aparece empatado com João Amoedo (Novo), que também possui 2% da intenção do eleitorado. Votos brancos e nulos somam 14%. Lula tem 33% na pesquisa espontânea, enquanto Jair Bolsonaro aparece com 19%. Ciro tem 2% e os demais têm 1%.

* Em outro levantamento, com dados de pesquisa realizada em parceria entre o Exame Invest Pro e o Instituto de Pesquisa Especializada em Opinião Pública (Ideia), divulgados nesta sexta-feira, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tem 45% das intenções de voto contra 37% do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em um eventual segundo turno na disputa pela presidência do Brasil.

* Mesmo com todo atraso, desavenças pessoais e possíveis falhas da Secretaria de Planejamento, merece destaque a atuação do prefeito Sérgio Azevedo no que diz respeito a construção de moradias para famílias de baixa renda, principalmente quando lembramos que seu antecessor, Eloisio Lourenço, prometeu construir mais de duas mil unidades e terminou o governo sem entregar uma moradia sequer para as famílias inscritas no Plano Municipal de Habitação.

* E olha que o ex-prefeito tinha a seu favor apoio dos governos estadual, com Fernando Pimentel, mais a presidente Dilma Rousseff na presidência da República, ambos “companheiros” de partido, além de estar ligadoi na época, ao todo poderoso deputado Odair Cunha, presidente do Partido dos Trabalhadores em Minas e “queridinho” da presidente Dilma.

* Embora estejam rompidos, também é verdade que as unidades de habitação popular entregues pelo prefeito Sérgio só saíram por conta do apoio do ex-prefeito e ex-amigo Luiz Antonio Batista, que pode ser considerado seu padrinho politico e de quem era admirador no que diz respeito a administração municipal. Basta lembrarmos o primeiro discurso do atual prefeito quando foi reeleito pela primeira vez, feito em cima de um caminhão estacionado na porta do seu comitê de campanha, quando disse  “quero ser um prefeito realizador, vou me inspirar na administração do Luiz Antonio”, discursou Sérgio Azevedo, logo após ser divulgado o resultado final da eleição.

* Assim como em outros governos, onde a criatura se voltou contra o criador, na metade do mandato os dois se desentenderam e hoje não mais se falam. O ex-prefeito virou crítico ferrenho do chefe do executivo nas redes sociais e deu apoio inclusive a um adversário do prefeito na eleição passada.

* Divergências entre criador e criatura, no entanto, não é novidade no executivo municipal. Para recordar alguns dos rompimentos basta citar Adnei de Morais que virou prefeito com apoio do PMDB de Sebastião Abrantes, escolhido para ser o seu vice. No segundo ano do mandato a boa convivência acabou e Abrantes se transformou em adversário do prefeito.

* O racha no grupo possibilitou a eleição de Sebastião Navarro para comandar a prefeitura e este lançou eelegeu Luiz Antonio Batista como o seu sucessor. Na metade do mandato, Luiz Antonio rompeu com Navarro e foi para o PTB levando com ele várias lideranças que faziam parte do grupo.

* Na eleição seguinte o então deputado Carlos Mosconi lançou Geraldo Thadeu que foi eleito com apenas 34 votos de vantagem para o oposicionista Paulo Tadeui. Pouco antes do final do mandato, Mosconi rompeu com Geraldo e se negou a apoiá-lo para a reeleição. Com o racha no grupo, entregaram a prefeitura para o petista Paulo Tadeu.