* Está cada vez mais próximo o risco de a população ficar sem transporte coletivo, cujo contrato emergencial com a atual concessionária vence nesta sexta-feira. No expediente da sessão ordinária desta terça-feira não consta nenhuma mensagem do executivo a respeito do assunto e caso a solução do problema passe pelo legislativo será necessária a convocação de uma sessão extraordinária antes de sábado, quando o serviço será interrompido.

* O curioso deste imbróglio criado pela própria prefeitura que deveria ter solucionado o problema no segundo ano da administração anterior, realizando a concorrência pública para uma nova concessão do transporte público é que a administração não se manifesta a respeito do assunto. A empresa Circullare é quem tem alertado a população sobre o risco de ficar sem transporte coletivo e até mesmo o presidente da ACIA fez ontem um alerta sobre o problema.

* Na realidade a concessionária não tem nada a ver com o problema que é responsabilidade única e exclusiva do executivo municipal que tem toda responsabilidade no gerenciamento do contrato. A empresa apenas cumpre o que está escrito e é determinado pelo executivo, que até aqui se mantém calado, como se o problema não fosse da sua alçada.

* Circulou no início da noite de ontem uma informação que torcemos para que não seja verdadeira e se for, cabe as autoridades municipais se movimentarem no sentido de que ela não se concretize. A informação diz respeito a paralisação das atividades da unidade local da AACD (Associação de Assistência à Criança Deficiente)

* Segundo consta, o fechamento da unidade se daria em consequência do atraso no repasse mensal de recursos municipais que estaria atrasado quase um ano. A conquista de uma unidade da AACD para Poços de Caldas se deu no governo do prefeito Paulinho Courominas depois de um muito esforço daquela administração que venceu disputa com dezenas de outros municípios que pleiteavam o mesmo benefício.

* Segundo publicação no diário oficial do município, edição de ontem, somente no mês de janeiro, os agentes de trânsito e os equipamentos eletrônicos flagraram 1.428 infrações de trânsito, cujos proprietários dos veículos não foram encontrados em suas residências pelos carteiros para receber pessoalmente as respectivas infrações.

* No mês de março e abril, foram outras 964 infrações registradas e não entregues aos donos dos veículos pelo mesmo motivo. Ao todo somam 2.392 notificações, lembrando que se tratam apenas de multas por infrações no trânsito, cujos proprietários dos veículos autuados não foram encontrados em suas residências.