* Sempre atento as notícias que dizem respeito a prefeitura, o secretário de comunicação Paulo Ney esclarece que a suspensão pelo prazo de trinta dias do contrato firmado entre a empresa Abet Projetos Turísticos, para elaborar o Plano Municipal de Turismo, teve como motivo o fato de o município se encontrar na onda roxa, impossibilitando por enquanto o trabalho de campo que será executado pela contratada.

* Esta será uma semana decisiva para o transporte coletivo em Poços de Caldas. Como amanhã, terça-feira, é dia de sessão ordinária da Câmara Municipal, o prefeito tem pouquíssimo tempo para encontrar uma saída para o impasse criado com o fim do contrato emergencial com a atual concessionária que termina na sexta-feira, dia 21. Caso seja necessário o pagamento de subsídio para não interromper o serviço e a assinatura de outro contrato emergencial com duração de 120 dias, isso só poderá ser feito com autorização legislativa.

* Poucos, porém, acreditam que o serviço será interrompido neste período e que aos 45 minutos do segundo tempo a solução deve aparecer e a aposta é que o governo municipal acabará cedendo e aceitando as condições da única empresa que se interessou prestar o serviço nesse curto espaço de tempo, que é a própria concessionária, porém, com uma condição, pagamento de subsídio para aliviar o prejuízo de R$ 750 mil mensais.

* Depois de ofender o presidente nacional do DEM, o baiano ACM Neto, o ex-presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia, que já tinha anunciado a intenção de deixar a legenda, deve ser expulso do partido. Nesta sexta-feira Maia decidiu formalizar seu pedido de saída do DEM, após a decisão e usou suas redes sociais para fazer fortes críticas a ACM Neto. “Malandro baiano”, “Esse baixinho não tem caráter” e “Bolsonaro presidente e ACM Neto vice-presidente. Não sobrou nada além disso” foram alguns dos ataques postados pelo deputado.

* Dezenas de instituições ligadas ao comércio estão publicando página dupla nos jornais protestando contra o abre-fecha das empresas por conta de governos estaduais e municipais. “Estão matando o comércio aos poucos” diz o informe do setor.

* Situação interessante vivem o PT e o PSDB. Em nome de uma ampla aliança em torno de Lula como candidato a presidente, o Partido dos Trabalhadores não deve lançar candidatos ao governo em vários estados. Com o mesmo discurso, o deputado Aécio Neves defende a mesma estratégia para os tucanos. Até por falta de nomes com potencial de vitória, nenhuma das duas legendas deve lançar candidatos em Minas.