* Segundo uma fonte que sabe das coisas porque acompanha de perto os bastidores da politica nacional, na cúpula do DEM e do PSD, existe uma movimentação do ex-ministro Gilberto Kassab, para uma união do partido Novo, do governador Romeu Zema com o PSD de Alexandre Kalil. Neste caso, o senador Rodrigo Pacheco deixaria sua atual legenda para se filiar ao PSD e com isso abriria caminho para o lançamento da sua candidatura a presidente.

* Em Minas, uma pesquisa interna sinaliza que será muito difícil derrotar Romeu Zema na sua tentativa de reeleição. Neste caso, o prefeito de BH, Alexandre Kalil, do PSD, desistiria da candidatura ao governo do estado para ser candidato a senador, enquanto que o DEM, se juntaria ao Novo, indicando o deputado federal Bilac Pinto para ser o vice de Zema. Se as articulações derem certo, o PSDB, que sonha em se juntar ao Novo para lançar o vice de Zema será uma carta fora do baralho.

* O diário oficial do município publicou a Portaria 4.458, assinada pelo prefeito Sérgio Azevedo, exonerando, a pedido, Andrea Galvão Rodrigues, da função de confiança gratificada de Assessora de Gabinete do Secretário Municipal de Saúde, nomeando para o seu lugar Rute Maria Ferreira Lima.

* Maia uma luta vencida. O Departamento de Pessoal depositou ontem, nas contas bancárias dos mais de seis mil servidores municipais, o vale alimentação e o salário do mês. Apesar da crise e queda acentuada na arrecadação, a Secretaria da Fazenda está conseguindo manter em dia o pagamento dos servidores. Na segunda o secretário Alexandre Lino já começa a esquentar a cabeça para o pagamento que diz respeito ao mês de maio.

* Mas nem tudo vai mal, o governador de Minas Gerais, Romeu Zema prometeu, nesta quinta-feira viabilizar um acordo com municípios para pagar R$ 6 bilhões referentes à Saúde que o Estado deixou de repassar às prefeituras durante a gestão do ex-governador Fernando Pimentel, o governador caloteiro do PT. A promessa foi feita durante encontro virtual com prefeitos da AMM (Associação Mineira de Municípios), após o presidente da associação, Julvan Lacerda, cobrar o pagamento da dívida.

* Outra boa notícia. O presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, deputado estadual Agostinho Patrus (PV), informou a aprovação, pela Assembleia, do auxílio emergencial para as famílias em situação de vulnerabilidade em todo o Estado, no valor de R$ 600. Patrus ainda acusou o governador do Estado, Romeu Zema (Novo), de se apropriar do projeto de lei que prevê o pagamento do auxílio para cerca de 1 milhão de pessoas carentes em Minas.