* Uma das medidas urgentes que a prefeitura deveria adotar para proibir abusos, após o flagrante desrespeito as restrições impostas pelo comitê que gerencia a pandemia, seria a interdição do acesso ao alto da serra, onde está a imagem do Cristo Redentor e também a área onde está localizada a rampa para saltos de paraglider.

* Bateu o desespero em muitos comerciantes que por conta do abre e fecha do coronavirus já não tem mais folego para continuar com seus estabelecimentos abertos, mesmo que a reabertura seja autorizada pelo comitê que gerencia a pandemia. Muitos estão endividados em bancos porquefizeram empréstimos e mesmo assim continuam com aluguéis, impostos e folha de pagamento em atraso, sem ter mais onde buscar ajuda.

* O projeto Poços Juro Zero, programa que a administração pretende lançar para socorrê-los não é solução porque mesmo sem juros, não teriam como pagar o empréstimo e nem mesmo possuem documentação em dia, que com certeza será exigida pelas instituições bancárias. Além disso, o projeto de lei está enroscado e foi retirado da Câmara pelo para sofrer alterações.

* A realidade é que por conta do abre e fecha desde o início da pandemia permaneceram com seus estabelecimentos fechados durante quase cem dias e quando liberados, tiveram que funcionar com restrições no número de clientes que mesmo assim não deram o ar da graça com receio de sair de suas casas.

* A coisa está feia e pelo andar da carruagem vai piorar. As últimas medidas adotadas, entre elas a proibição da venda de bebidas alcoólicas e toque de recolher no período noturno, não surtiram o efeito desejado, prova disso são os números diários apresentados nos boletins divulgados pela prefeitura, embora um estudo feito por uma universidade aponte que surtiram efeitos.