* Um número que chama a atenção no boletim epidemiológico de ontem em Poços de Caldas são as pessoas que testaram positivo para o coronavirus. São 708 pacientes que estão em isolamento domiciliar. O problema é que não existe condições para um monitoramento dessas pessoas para saber se realmente estão fechados em suas residências ou não. Segundo consta, muitos estão se movimentando livremente colaborando para a propagação do vírus, colocando outras pessoas em risco, até mesmo seus familiares.

* Embora a intenção tenha sido das melhores, que é a de vacinar o maior número possível de idosos por dia, o acúmulo de dois anos (67 e 68) ontem acabou provocando longas filas e muita reclamação dos idosos que permaneceram um bom tempo na fila, expostos ao tempo, ou no interior dos carros, aguardando a vez para serem imunizados. A medida mais acertada seria a criação de mais postos de vacinação, como por exemplo um segundo no sistema drive thru no terminal rodoviário e outros dois postos nas zonas leste e oeste. Fica a sugestão para os próximos dias

* A secretaria de turismo realizou ontem a terceira audiência pública para a concessão dos pontos turísticos. É mais um capítulo nesta novela que já dura mais de três anos sem solução. Enquanto isso os pontos de passeio seguem abandonados, o teleférico deteriorando e para completar o descaso com o setor de turismo, não se fala mais no monotrilho, um presente de grego que a prefeitura recebeu da antiga concessionária que não conseguiu colocar a geringonça para andar.

* Inaugurado na gestão do prefeito Geraldo Thadeu, quando da reforma e revitalização do Parque José Affonso Junqueira, o Café Concerto pode mudar de concessionário. Desde a sua inauguração está sendo administrado com muita competência, dedicação e profissionalismo pelos mesmos arrendatários. Como o prazo para a concessão terminou, a prefeitura abriu nova licitação para entrega da lanchonete, agora pela melhor oferta de outorga.

* A torcida é para que o Café Concerto continue nas mãos das mesmas pessoas, ou que apareça algum interessado que saiba cuidar com o mesmo carinho e profissionalismo do local. O risco nessas outorgas é aparecer algum aventureiro, como já ocorreu com o restaurante Véu das Noivas no passado e até mesmo com o restaurante da Represa Saturnino de Brito. Alguém sem experiência, sem competência e o pior, sem recurso para bancar o negócio. Aí o local pode acabar virando feira de artesanato, como aconteceu com o belíssimo restaurante Véu das Noivas, ou até mesmo com o restaurante ao lado do Cristo Redentor, que está abandonado faz muitos anos.

* Aliás, vamos ser sincero, no que diz respeito ao setor de turismo, a gestão do prefeito Sérgio Azevedo no primeiro mandato foi simplesmente desastrosa. Além de não fazer absolutamente nada, ainda acabou com eventos tradicionais que constava no calendário turístico anual da estância e atraia muitos turistas. Essa é a verdade, a tal “revolução” prometida pelo prefeito no setor turístico, desde que tomou posse em janeiro de 2017 até agora ficou apenas na promessa. Por sinal, mais uma, entre muitas outras.

* Embora os números do Caged nos últimos nove meses continuem positivos, indicando a recuperação dos mais de 4 mil postos de trabalho fechados no primeiro semestre do ano passado em consequência da pandemia (agora restam apenas 1.879 a serem recuperados), com a nova onda do coronavirus e o comércio fechado, a tendência de alta deve ser interrompida e tudo indica o saldo voltará a ficar negativo no que diz respeito a abertura de novas vagas. Infelizmente.