* Em uma das suas falas na semana passada o prefeito Sérgio Azevedo afirmou que nesta fase, principalmente quando se trata de assuntos relacionados a pandemia da Covid-19, o diálogo com os vereadores tem sido importante na busca de ações para conter o avanço do coronavirus e amenizar as suas consequências.

* E foi seguindo uma sugestão da vereadora Regina Cioffi, na sexta-feira, que o prefeito movimentou a Secretaria de Promoção Social no sentido de já no domingo, dar início a chamada “vacinação solidária”, onde a administração municipal solicita a colaboração daqueles que serão imunizados no sentido de doarem gêneros alimentícios para as muitas famílias que se encontram em situação de vulnerabilidade, precisando de ajuda para colocar comida a mesa.

* Um áudio gravado por uma senhora desesperada movimentou os bastidores ontem. Com o marido internado no Hospital de Campanha por ter testado positivo a mulher foi avisada durante a madrugada pelo médico plantonista que seu marido estava passando mal e que deveria comprar determinados medicamentos que estão sendo utilizados no tratamento precoce.

* O áudio foi encaminhado para o secretário de comunicação Paulo Ney para maiores esclarecimentos. No final da tarde o secretário esclareceu que o episódio foi resultado de um desencontro de informações durante a troca de plantão e que a secretara de saúde não impõem prescrição de medicamentos. Com isso os médicos têm liberdade para receitar a medicação que entender seja a mais adequada.

* O executivo está solicitando a mesa diretora da Câmara Municipal o desarquivamento do projeto de lei que autoriza o Município de a firmar convenio de cooperação com a Agência Reguladora Intermunicipal de Saneamento Básico de Minas Gerais, para regulação e fiscalização dos serviços de saneamento básico prestados por meio do DMAE.

* Trata-se de exigência legal que gerou polêmica e não foi aprovada na legislatura anterior. Com o convênio a autarquia municipal, assim como ocorre com a DME, será regulada e terá que cumprir as normas impostas pela agência no que diz respeito ao funcionamento do setor. Uma das primeiras medidas dee ser a atualização da tarifa de água que está defasada faz muitos anos e que o prefeito Sérgio Azevedo, para evitar desgaste politico se recusa a atualizar.

* Filiado a agência reguladora a tarifa será calculada dentro da realidade e o prefeito ficará livre do encargo. Por outro lado, ao se filiar a agência reguladora órgão responsável pelo tratamento e distribuição de água potável estará regularizado, podendo pleitear financiamentos para melhoria do serviço junto ao governo federal. Isso, naturalmente, se o Município conseguir pagar suas dívidas e obter novamente a Certidão Negativa de Débitos.