Com pinta de candidato

Eloisio Lourenço achou ótima a oportunidade de participar do programa “Poços em Debate”, quando teve a chance de responder a várias acusações que adversários políticos vinham fazendo sobre o seu governo. Desmentiu várias delas apresentando números e desafiou quem discordar a consultar o Portal da Transparência, no site oficial da Prefeitura.

Munido de planilhas apresentadas aos vereadores pelo secretário da Fazenda, Alexandre Lino, mostrou que existe incoerências entre a acusação que fala em “herança maldita” de R$ 150 milhões, deixada pelo ex-prefeito e os números apresentados recentemente pelo titular da Fazenda. Mostrou também números sobre a dívida fundada que mais que dobrou nos dois anos da atual administração.

O alvo principal de Eloisio foi o prefeito Sérgio Azevedo, num claro sinal de que estará presente nos futuros debates de campanha como candidato ao comando do executivo e desta vez, caso Sergio seja candidato à reeleição, cobrando explicações sobre o seu governo, numa condição totalmente diferente da campanha anterior quando enfrentou um engenheiro civil de carreira, sem passado como governante.

O petista acha difícil, mas não impossível, uma troca de legenda e diz que já recebeu inúmeros convites para se filiar em outras siglas e que por enquanto prefere continuar ao lado dos atuais “companheiros”.

Durante a entrevista, um telespectador perguntou sobre os R$ 200 mil gastos na estrutura para recepção a presidente Dilma, que veio a Poços durante sua administração, distribuir máquinas agrícolas para outras prefeituras. Foi nessa solenidade que Dilma fez um elogio ao prefeito, dizendo que em Poços existem três maravilhas: as águas termais, os cristais de murano e ele,Eloisio. O elogio da presidente custou R$ 200 mil aos cofres do município.

Fechar Menu