Os coordenadores pedagógicos de Poços encaminharam carta de manifestação à Câmara referente ao projeto de lei que estabelece as atividades de educação infantil e fundamental como atividades essenciais em períodos de calamidade públicas decorrentes de crises sanitárias no município. No documento, os coordenadores solicitaram votos contrários dos vereadores ao projeto, já aprovado e sancionado pelo prefeito.

Eles alegam que podem afirmar com segurança que escolas de unidade infantil podem estar sendo abertas no pior momento da pandemia pelo qual passa o país, o estado e a cidade, sendo descabido, irresponsável e desastroso. “O que fazemos é apelar para o bom senso, responsabilidade e tranquilidade de consciência de cada um dos nobres representantes dos cidadãos do município, em dizer não a um projeto que expõe a risco de vida a inúmeros profissionais da área de educação, estudantes, as famílias, ao sistema de transporte já tão combalido e ao sistema de saúde já colapsado. Defendemos que essencial é a vida e a sua manutenção sempre”, concluíram.