Portal de Notícias e Web Rádio 

A primeira sessão ordinária da Câmara Municipal, realizada na tarde/noite de ontem foi marcada por um clima tenso entre vereadores da oposição e da situação e uma acalorada discussão sobre uma moção solicitando a reabertura do cadastramento para o auxilio emergencial que tomou quase três horas de debate, algumas vezes com intervenção da vereadora Regina Cioffi (PP), pedindo para que os envolvidos no debate respeitassem o decoro parlamentar.

Os vereadores Tiago Braz (Rede), Lucas Arruda (Rede) e Diney Lennon (PT), foram os autores da moção que gerou os debates. A situação se complicou quando a secretaria de comunicação da Prefeitura postou release informando que o comando do executivo havia decidido por prorrogar a inscrição para recebimento do auxilio emergencial por mais dois dias “atendendo a pedido dos vereadores Flávio Togni de Lima e Silva (PSDB) e Wellington Guimarães (DEM).

Diante da publicação o clima entre oposição e situação azedou de vez e mesmo contra a vontade, o presidente da Casa, vereador Marcelo Heitor foi obrigado a cortar o microfone do vereador Tiago Braz, cuja fala havia extrapolado o tempo dedicado aos apartes, sem que ele atendesse ao pedido para interromper sua fala.

Ainda durante a sessão, a secretaria de comunicação alterou a publicação anterior, publicando uma nova versão sobre a prorrogação do prazo para o auxilio emergencial, só que nesta segunda publicação, citando os nomes dos três oposicionistas e dos demais vereadores.