Portal de Notícias e Web Rádio – CNPJ 44.219.101/0001-23

Na última terça-feira a Comissão de Administração Pública da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) realizou uma audiência para discutir os impactos socioambientais e os riscos para os moradores dos municípios da região de Caldas com a transferência de 1.179 toneladas de rejeito radioativo para as instalações industriais da INB na cidade. O presidente da Câmara de Poços, vereador Marcelo Heitor (PSC), e a vereadora Regina Cioffi (PP) participaram, de forma remota, do evento e acompanharam os debates acerca do tema.

A audiência da ALMG atendeu a um Requerimento da deputada Beatriz Cerqueira (PT) e contou com a presença de representantes do Legislativo e do Executivo de Caldas, além de prefeitos de outros municípios da região, do Comitê de Bacias Hidrográficas do Rios Mogi/Guaçu e Pardo, da Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN), entre outros órgãos. Segundo informações da Assembleia de Minas, houve apelo quase unânime na reunião para que não ocorra a transferência do rejeito Torta II para a cidade de Caldas, material este que se encontra em outra unidade da INB, em Interlagos (SP).

O presidente Marcelo Heitor ressaltou que o evento foi fundamental para que as autoridades pudessem expor a posição contrária à vinda do rejeito para a região. “A participação do Legislativo de Poços foi muito importante no sentido de somar forças junto à Prefeitura e a Câmara de Caldas, com relação à vinda desse material para a unidade da INB. Somos contrários a essa transferência e a audiência permitiu que autoridades e representantes de instituições falassem a respeito disso. Participei do início do debate, depois fui substituído pela vereadora Regina, que tem também discutido muito sobre esse tema no nosso município”, afirmou.

A Câmara de Poços tem abordado o assunto desde as primeiras notícias referentes à possível transferência do rejeito para a região. Requerimento, Moção de Apelo e uma audiência pública foram algumas das ações dos vereadores