A destruição causada pelo coronavírus no Brasil atinge patamares cada vez mais surpreendentes, como previram vários infectologistas. O país registrou, nesta terça-feira, 3.251 mortes em 24 horas, o maior número registrado num único dia, segundo dados do Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass). O total de óbitos é de 298. 676.

Até então, o recorde de vidas perdidas em 24 horas havia sido na última quarta-feira (17/3), quando foram contabilizadas 3.149, pelos números do Conass. Março tem sido o mês devastador da pandemia: além da alta média móvel de óbitos, UTIs e enfermarias estão lotadas de norte a sul do país.

Porém, segundo dados do Ministérios da Saúde, esta foi a primeira vez que o Brasil ultrapassou a marca de 3 mil mortos por dia. No dia 17, a pasta divulgou que foram 2.648 vidas perdidas. A diferença está nos dados coletados por alguns estados e não computados no balanço geral.

De qualquer forma, esta foi a quinta vez que o país estabeleceu sua maior marca de mortes num dia. Enquanto isso, o cronograma de vacinas segue em ritmo lento, com menos de 6% da população imunizada.