Bolsonaro quer mais ‘correções’ na reforma

O presidente Jair Bolsonaro afirmou que “não acabou ainda a reforma da Previdência” e que há “equívocos” que podem ser corrigidos pela “sensibilidade” do Parlamento. Técnicos do governo, no entanto, avaliam que não pode haver mais mudanças, como na questão da aposentadoria dos policiais federais, porque isso pode fortalecera pressão de outras categorias e ameaçar a economia prevista. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, também é contra ceder às reivindicações dos policiais e planeja votar a reforma em plenário, em dois turnos, antes do recesso. (Globo)

Fechar Menu