O presidente da Comissão, Tiago Braz, questionou que, se os agentes políticos não têm direito trabalhistas, conforme a secretária tinha afirmado em uma de suas colocações, por que eles recebem os benefícios trabalhistas além dos subsídios? “As férias nós recebemos de acordo com a Constituição e de uma lei ordinária que está em vigor, que é direito receber tanto férias quanto o 13º. O 13º não está sendo pago desde 2008, mas é um direito garantido.

O vale alimentação é um benefício, é uma lei municipal ampla que permite também aos agentes políticos, porque é descontado, não é um benefício dado, é descontado em 1% sobre o salário base de todo e qualquer servidor. Você não faz uma lei beneficiando um em detrimento de outro. A lei é extensiva a todos, ela não tem exceção”, explicou Ana Alice.