E o vereador do Novo foi além, disse que se Tiago Braz retirasse o projeto, teria sua palavra que entraria depois com ele, neste mesmo projeto. “O que eu não posso admitir é outro homem me chamar de covarde, porque nem meu pai me chama de covarde, nunca me chamou. Então eu exijo respeito, porque eu sempre lhe tratei com respeito. Nós temos que ter limite para as coisas”, declarou.