Azedou o clima entre Zema e os prefeitos

A segunda-feira foi de intensa movimentação na capital mineira com centenas de prefeitos, liderados pelo presidente da Associação Mineira dos Municípios, Julvan Lacerda, se reunindo pela manhã para analisar proposta do governo para o pagamento da dívida com as prefeituras (R$ 12,6 bilhões), que o governador Romeu Zema pretende pagar em quatro anos, sendo o primeiro de carência.

A reclamação maior dos prefeitos está no calote dos repasses constitucionais que o governador Zema prometeu colocar em dia, mas que à exemplo do seu antecessor, Fernando Pimentel, também está atrasando, Nesta primeira quinzena de janeiro o estado já acumulou dívida de R$ 483 milhões com os municípios, deixando de repassar recursos do ICMS, IPVA e FUNDEB.

Após a reunião os mais de 300 prefeitos se dirigiram em caravana para a Cidade Administrativa onde pretendiam ser recebidos pelo governador e ai veio a surpresa, foram barrados por policiais militares, numa atitude condenada pelos prefeitos que protestaram dizendo que “nem na época do governador Pimentel isso aconteceu”.

Enquanto os prefeitos eram impedidos de entrar, o governador esteve reunido com representante das 47 Superintendências Regionais de Ensino, acenando com a liberação de R$ 48,7 milhões em recursos do FUNDEB, na tentativa de evitar que os prefeitos retardem o reinício das aulas.

O clima ficou ainda mais pesado porque o presidente da AMM e alguns prefeitos foram recebidos pelo Secretário de Governo, Custódio Matos, sendo informados por ele que o governo ainda não sabe como e nem quando vai conseguir colocar os repasses constitucionais em dia.

Prefeitos de algumas cidades entraram com ação contra o Banco do Brasil exigindo que o repasse do ICMS para os municípios seja feito diretamente para as prefeituras, sem passar pelo Estado, enquanto que outros ameaçam no primeiro dia de funcionamento da Assembleia Legislativa, entrar com pedido de intervenção no estado por conta do calote que vem tendo continuidade com o novo governador.

Em Poços de Caldas, o prefeito Sérgio Azevedo deve anunciar hoje a decisão sobre o início das aulas. Até ontem não havia definição se vai acompanhar os prefeitos que decidiram para depois do carnaval ou se irá manter o calendário, com o inicio das aulas em fevereiro.

Fechar Menu