Assembleias investigadas

A Alerj, onde movimentação atípica de Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flavio Bolsonaro, tomou as manchetes, não é a única assembleia legislativa a ter seus esqueletos no armário revirados. Segundo levantamento do Estadão deste domingo, ao menos 16 assembleias estaduais têm deputados investigados  devido irregularidades cometidas nos últimos 16 anos relacionadas a salários e gratificações de servidores dos gabinetes. Em São Paulo, por exemplo, cinco deputados são   alvo de investigação por apropriação de salários.

Fechar Menu