Tramonte disse que o acordo do governo de Minas com a Vale, na questão de Brumadinho, foi de R$ 34 bilhões. “Isso não é em dinheiro, o governo não recebeu isto em seus cofres. O governo receberá parte desse valor que deve girar em torno de R$ 14 bilhões e o restante será em obras indicadas pelo governo que a Vale vai fazer. Desse valor total de R$ 34 bilhões, a Assembleia propôs uma divisão de R$ 1,5 bilhão para todos os municípios de Minas Gerais”, explicou.

A distribuição, de acordo com ele, será feita da seguinte forma: municípios de 5 mil até 10 mil habitantes receberiam um valor, de 10 mil a 20 mil habitantes outro valor e assim sucessivamente com os valores crescendo. “Houve uma resistência do governo, um desacordo total e nós mexemos na lei da Constituição para ter esta possibilidade e por insistência da Assembleia conseguimos fazer a aprovação do projeto. Tinha cidades que não poderiam receber, porque estavam sem a CND, o governo queria que fizesse convênios, é o caso de Poços, porém se você fosse ver por este prisma a maioria das cidades não receberia o dinheiro. Conseguimos a aprovação deste projeto e os 853 municípios irão receber o recurso. Poços de Caldas, de acordo com o deputado, vai receber em torno de R$ 7 milhões.