O vereador Claudiney Marques, do PSDB, integrante da comissão, afirmou que no contexto da CPI o que foi discutido foi se os princípios da legalidade e da moralidade foram, de alguma forma, abalados por Ilegalidade. Segundo ele, isso não existiu, até com base no parecer do Ministério Público. Para Claudiney, o que ficou foi o abalo do princípio da moralidade e que não consegue entender o fato de um um gestor público se achar insubstituível a ponto de não deixar o cargo para gozar suas férias. “Percebemos até uma certa arrogância, uma soberba quando isso acontece, porque acha que não tem quem o posso substituir”, afirmou Claudiney.