A todo vapor

Prosseguem a todo valor as obras de terraplenagem na área localizada no distrito industrial, onde será instalada a empresa Alnor – Indústria de Metais do Nordeste Ltda. pertencente ao Grupo Lamesa, com sede em São João da Boa Vista. Uma conquista da atual administração com inicio de suas operações agendada para o primeiro semestre de 2020.

Como a prefeitura não dispõe de recursos para fazer a terraplenagem na área, os dirigentes da empresa decidiram bancar o trabalho com recursos próprios e até adquiriram uma enorme e moderna escavadeira para retirada de terra da área onde o DME projeta construir uma sub estação para servir o distrito. Toda terra retirada dali sendo transportada para a área onde serão construídos os galpões para abrigar o maquinário e a parte administrativa da futura empresa.

Segundo informação do diretor presidente do Grupo Lamesa, Flávio Augusto do Canto, a indústria deve gerar mais de 300 empregos quando entrar em funcionamento e a escolha de Poços de Caldas para a instalação se deu pela proximidade da sede do Grupo Lamesa, em São João e também “por ser uma cidade que conhecemos há 45 anos”, disse ele ontem, ao visitar a área em companhia do seu filho, e de um executivo da empresa, acompanhados pelo engenheiro Cicero Machado de Morais, presidente do Conselho de Administração do DME.

 

Dança das cadeiras

Faltando um ano para a definição das candidaturas com vistas a sucessão no legislativo municipal e a troca de guarda na casa amarela, já é possível notar uma movimentação mais intensa nos bastidores da politica sulfurosa, com o pessoal que está no poder buscando informações sobre o futuro do governo, enquanto que a oposição, enfraquecida por causa da rejeição aos petistas prepara artilharia pesada contra o executivo na tentativa de desgastar a administração.

No meio de campo, aliados do governo tucano se reúnem para avaliar o futuro, fazendo planos para o desembarque caso sintam insegurança no barco tucano e buscam confirmação sobre a candidatura à reeleição do chefe do executivo. O DEM, por exemplo, quer uma palavra definitiva do prefeito quanto ao seu futuro na politica. Querem saber se ele vai mesmo para a tentativa de reeleição, ou se pretende parar por ai, entrando para a história do município apenas com um mandato.

Já o ex-prefeito Eloisio sente que se aproxima também a hora de uma definição quanto ao seu futuro politico e ensaia a filiação em uma nova legenda para fugir do desgaste do PT ao qual continua filiado.

O coronel reformado da PM Frederico de Lima que anda cotado para ser candidato a prefeito pensa em se filiar ao PSL, enquanto que Paulinho Courominas e o suplente de deputado Ulisses Guimarães ciscam por fora mas nas conversas em off não descartam uma possível candidatura a prefeito ou vice.

Fechar Menu