A nutricionista Bruna Gonçalves, funcionária do Setor de Nutrição e Dietética da Santa Casa, passou recentemente pela dor e pelo alívio que podem ser proporcionados por essa triste pandemia de covid-19.

No mês de março, o pai e a mãe de Bruna contraíram o vírus e tiveram que ser internados no Hospital.  Pouco tempo depois, no mês de abril, infelizmente, a mãe da nutricionista, Maria Lúcia Ovídio Gonçalves, de 52 anos, não suportou a doença e veio a falecer.

Após o falecimento da mãe, mais momentos difíceis, o pai de Bruna, José Arildo Gonçalves, de 55 anos, permaneceu internado com a doença, acabou piorando e chegou a ficar 10 dias intubado. Mas, por essas coisas que só Deus explica, após sofrer muito, ele se recuperou da doença e no dia 14 de maio teve alta da Santa Casa.

“Foi um momento muito difícil. Muito rápido, a gente descobriu o covid dela e logo o covid dele. Internou muito rápido. Fomos para o Hospital de Campanha, depois fomos transferidos para a Santa Casa com a ajuda de Deus. Foi um momento muito difícil, não tem nem como falar. Perdi minha mãe um mês antes do meu pai ter alta”, relata Bruna, que conta os momentos difíceis após perder a mãe.

“Meus pais tiveram uma piora do quadro, precisaram ser intubados e para conseguir dar continuidade ao tratamento realizaram uma traqueotomia, infelizmente por decorrência da doença minha mãe não resistiu. Por isso, no momento da alta dele foi uma mistura de sentimentos da falta dela com a vitória dele. Agora ele vai ser pai e mãe. Quero agradecer muito à Santa Casa, a cada médico, a cada profissional, cada enfermeiro, pessoal da Cozinha, Higienização, Administração, Portaria, Fisioterapia, obrigado a todos”, completa Bruna.

A enfermeira coordenadora das Alas, Rosane Raquel Leme, foi uma das profissionais que cuidou de seu José Arildo depois que ele saiu da CTI. Ela conta a emoção que é para a equipe ver alguém recuperado de covid.

“Para nós foi muito gratificante. Esse momento é uma benção de Deus mesmo. Ver ele recuperado, bem, saudável para ir para casa. Então, eu agradeço toda a equipe de enfermagem, médicos, a equipe multidisciplinar que cuidou desse paciente para que ele pudesse ir embora e se recuperar bem. É muito difícil, mas, graças a Deus, a filha teve muita força, persistência, conseguiu ajudar a enfermagem, a equipe médica e foi uma vitória”, conta a enfermeira.

Vida nova

Com o sorriso no rosto de quem venceu uma doença tão difícil, seu José Arildo, em poucas palavras, falou de seu sentimento no momento da alta.  “Fiquei internado por 50 dias. Não foi nada fácil. Só Deus para dar força, mas graças a Ele eu venci. Durante a internação tive muita dor nas costas, já que você fica o tempo todo na cama deitado. Mas, deu tudo certo, recebi um milagre e estou nascendo de novo. Deus é bom, vida que segue”, disse José Arildo ao sair do Hospital. (Rafael Santos).