Portal de Notícias e Web Rádio – CNPJ 44.219.101/0001-23

 

 

CELSO DONATO

Secretário Municipal de Governo

O entrevistado da semana pela jornalista Neusa Reis, é o Secretário de Governo, Celso Donato, que fala sobre sua provável candidatura a deputado federal, apoios políticos, excesso de pré-candidaturas e possibilidade de, mais uma vez, o  município não eleger ninguém, além das principais metas do governo para os próximos 3 anos.

Blog – O apoio do PSDB já está definido para Eduardo Leite, como presidente, e Romeu Zema para o governo de Minas?

Celso Donato – Hoje receberemos Eduardo Leite aqui e Poços de Caldas que se sente lisonjeada, porque como pré-candidato a Presidente da República são três cidades de Minas Gerais que ele está visitando: Belo Horizonte, Governador Valadares e Poços de Caldas. Isso já coloca Poços na rota de um presidenciável. O diretório estadual já manifestou o apoio a Eduardo Leite, que tem como seu principal concorrente João Dória. O PSDB sempre participou de todas eleições presidenciais desde a redemocratização do país, grandes nomes foram candidatos a presidente.  Eduardo Leite enxergamos hoje como um nome que se encaixa no perfil que o eleitor está aguardando. O que mais ouve falar é que não temos uma terceira via.O Eduardo ainda é desconhecido pelo Brasil afora. Ele é conhecido no sul do país e essas viagens são uma maneira de se tornar mais conhecido.  E’ um jovem que já foi da juventude do partido, tem no seu DNA o PSDB, foi vereador, presidente da Câmara, prefeito de Pelotas saindo com 80% de aprovação, não quis a reeleição, fez sua sucessora, tem 37 anos e mostrou grande capacidade. Considero ele e o Romeu Zema os melhores governadores da atualidade. O PSDB de Poços enxerga Eduardo Leite como o melhor nome para ser nosso candidato a presidente.

Blog – E quanto a Romeu Zema?

Donato– Política é igual nuvem, Magalhães Pinto já dizia, hoje está de um jeito, amanhã de outro. Hoje temos uma simpatia pelo governador Zema, que tem feito um ótimo trabalho, mas você só casa com quem quer casar com você. O Novo temos ouvido falar que vai abrir para coligações. Enxergo que o PSDB estadual tem uma ligação muito grande com o governador Zema, agora o PSDB sempre apresentou nomes. Participei de uma reunião do PSDB estadual semana passada em que o nome do prefeito Sérgio Azevedo foi cogitado para ser candidato ao governo de Minas. Não podemos descartar isso, o prefeito pode até falar não, mas dentro do partido o Sérgio é pré-candidato ao governo de Minas. Temos que levar isso em consideração, assim como também tem o prefeito de Belo Horizonte, Kalil, do PSD, que é pré-candidato e no momento oportuno o PSDB vai se posicionar.

Blog – O PSDB então tem simpatia por Zema?                

Donato – Temos uma simpatia, um reconhecimento pelo ótimo governo de Zema, mas eles precisam casar com a gente e política é consenso. E o que é o consenso: ambas as partes precisam ceder. O PSDB está disposto a issor, o Novo tem que estar disposto também para que a gente possa continuar este trabalho que vem sendo feito por Minas. Hoje internamente no PSDB não está descartado o fato de que o partido não terá candidato para o governo de Minas. O PSDB tem pesquisas de avaliação de seus prefeitos e o prefeito Sérgio é o mais bem avaliado em toda Minas Gerais e isso faz com que ele, seja um dos nomes. Mas seu objetivo não é ser candidato, até porque pretende cumprir seu mandato integralmente por ser o primeiro prefeito reeleito da história de Poços.

Blog – Você é pré-candidato a deputado federal, alguma chance de mudar esta posição passando para candidato a deputado estadual?

Donato -Tenho uma militância política desde 2003, sempre pertenci ao mesmo grupo político do deputado Carlos Mosconi, do saudoso Sebastião Navarro, um grupo que sempre orgulho de fazer parte. Dentro da minha trajetória foram aparecendo oportunidades e até cobrado no passado para ser candidato a vereador. A política para mim nunca foi uma obsessão, e nem ser candidato a qualquer custo, meu nome está à disposição do grupo e fico feliz quando vejo reconhecimento, não no grupo, mas até na região. Eu fui assessor parlamentar, trabalhei com o deputado Mosconi por muitos anos na Assembleia Legislativo, quando o senador Anastasia era governador do Estado e isso me deu uma boa bagagem, uma experiência muito grande na esfera, estadual.

Blog – Por que candidato a deputado federal?

Donato – Porque como fui assessor do Mosconi, as últimas eleições que ele disputou foi para federal e os apoios que eu acabei de mencionar são para federal, porque eles já têm outro deputado estadual. Mas ainda é cedo, temos outros nomes no grupo, precisamos conversar, aproximar e o importante é que Poços terá dois candidatos, um afederal eoutro a estadual, que vão disputar as eleições com o apoio do prefeito, do Mosconi e não vamos abrir mão de Poços ter representantes. Chega!

Blog – Vários nomes estão surgindo de possíveis candidatos a deputado estadual e federal, como você avalia isso?

Donato – Precisamos de muita sabedoria e inteligência. Quanto maior o número de candidatos, pior para a cidade. Esta lógica coloca em risco o fato de continuarmos sem representatividade. É muito fácil falar sou candidato a deputado. Eu mesmo não me coloco hoje que vou ser candidato a qualquer custo. Eu nunca disse para o meu grupo que serei candidato. O meu nome começou a ser ventilado de forma natural. Eles me procuraram e perguntaram se eu toparia e eu disse que meu nome estava à disposição. As pessoas têm que entender que é muito difícil Poços eleger deputado sem apoio do prefeito.

Blog – Você compondo em uma chapa com o vice-prefeito Júlio não seria prejudicial uma vez que os seus votos são os mesmos que os dele?

Donato – Eu tenho o maior respeito por todos os nomes que estão colocados. A começar pelo meu companheiro de partido, Flavinho, que é pré-candidato a deputado estadual, lógico que pode ser um fator dificultador por sermos do mesmo partido, mas estamos em raias distintas, o Flávio é estadual e não será federal e eu sou federal e não serei estadual. Tenho amizade e respeito pela doutora Regina Cioffi, que é ótima parlamentar, trabalhadora, mulher, uma pessoa de destaque na política de Poços. Da mesma forma nosso vice, Júlio, carismático, quem o conhece gosta, é unânime, muito bem quisto e foi apresentado pelo Democratas. O grupo tem que tem maturidade para analisar os nomes.

Blog – Quanto votos se espera somar na região?

Donato – Não falo por nomes, vejo que o candidato a deputado federal, com apoio do prefeito Sérgio e do Mosconi, tem condições de somar entre 30 mil a 40 mil votos só em Poços. Eu falo isso porque o deputado Geraldo Thadeu teve em 2002 teve 35 mil votos, em 2006 obteve 37 mil votos, então se em 2006 um grupo unido, com o prefeito que era o Sebastião Navarro, conseguiu fazer com que o Geraldo tivesse essa votação, por que não, 15 anos depois eleger um deputado? Acredito que um deputado com o apoio do prefeito tem condições de fazer 30 mil votos em Poços e 20 mil na região.