* A vereadora Regina Cioffi (PP) esclarece que esteve ausente do plenário, na sessão ordinária de terça-feira, quando estava sendo debatido em plenário a moção sobre o veto ao projeto que estabelece punição para coibir discriminação por identidade ou expressão de gênero, porque foi chamada pelo presidente Marcelo Heitor, para substitui-lo na audiência  remota que estava sendo realizada no mesmo horário pela Comissão de Administração Pública da Assembleia Legislativa, tendo como tema a discussão dos impactos socioambientais e os riscos para os moradores dos municípios da região com a transferência de toneladas de rejeito radioativo para as instalações industriais da INB na cidade de Caldas.

* Foi apenas por este motivo que a vereadora não participou dos debates. Se estivesse em plenário, com a experiência que acumula no legislativo não só como vereadora, mas também como presidente da Casa, com certeza Regina teria sugerido a retirada de pauta da moção para evitar debates mais acalorados com um assunto que está sendo discutido em nível estadual.

* Colegas de vereança da base de sustentação do prefeito no legislativo da qual Claudiney faz parte, não quiseram se pronunciar sobre o assunto, e o vereador Flavinho, colega de legenda e líder da bancada, indagado sobre o assunto, respondeu com evasivas. A mesa diretora da Câmara divulgou nota oficial afirmando que o pedido de cassação será enviado para o corregedor.

* Ao contrário do que havia declarado o secretário de governo durante uma das suas entrevistas, que o teleférico poderia ser licitado à parte, na concorrência pública para concessão dos pontos de passeio, o novo edital para a privatização não só mantém o teleférico na concorrência, junto com o Véu das Noivas, Recanto Japonês e Fonte dos Amores, como ainda acrescenta o espaço da rampa de Vôo Livre, no alto da serra de São Domingos.

* Desde janeiro, quando teve início a atual legislatura, os vereadores apresentaram nesses nove meses de atividade nada menos que 1.128 requerimentos mais 117 moções. O volume é recorde, se comparados as legislaturas anteriores. Como a maioria dos requerimentos diz respeito a pedidos de informações enviados ao executivo, as respostas acabam travando o funcionamento da secretaria de governo, além de ocupar diversos servidores para reunir os dados solicitados pelos vereadores. A maioria das respostas tem como destino final o arquivamento e sequer são lidas em plenário ou, muitas vezes pelo próprio autor do requerimento.

* Sérgio Azevedo completou ontem 57 anos de idade. Pelo número de mensagens e curtidas nas publicações sobre o aniversário no facebook seu governo continua merecendo boa aprovação de grande parte do eleitorado. Só em uma foto onde ele aparece apagando velinhas em bolo de aniversário, as curtidas chegam a 1,7 mil, com 1,2 mil comentários de cumprimentos.

* Sérgio vai se consolidando como a maior liderança política do município, até porque os chamados “coronéis” não mais existem e também não deixaram herdeiros. Aqueles que deveriam sucedê-los acabaram se perdendo no meio do caminho e hoje suas falas e opiniões não tem a mínima repercussão entre o eleitorado. Gostem ou não, o que temos hoje são aqueles que possuem mandatos eletivos ou ocupam cargos de relevância no governo municipal. O resto é passado.