* Ainda não é oficial, mas o governador Romeu Zema pode abrir sua agenda e agendar visita a Poços de Caldas no próximo dia 2, quinta-feira da próxima semana. A pauta seria um encontro programado pela prefeitura para o anúncio da criação da Agência de Desenvolvimento e início de tratativas com o Governo do Estado para a implantação de um terminal rodoferroviário em área próxima ao distrito industrial

* Para o prefeito Sérgio Azevedo, os pontos de passeio não estão abandonados e a cidade está “bombando” com a presença de milhares de turistas que vem a Poços de Caldas apenas para curtir a cidade e aproveitar a variedade da gastronomia que oferece aos visitantes.

* Se o turista vem aqui apenas pelo clima, pelas belezas naturais e para comer, não vale mesmo a pena investir na reativação do teleférico, monotrilho, reconstrução da Casa de Chá do Recanto Japonês, reabertura do Café Concerto e na melhoria dos pontos turísticos. E se os turistas não vêm a Poços por conta dos pontos de passeio,, qual seria o interesse de alguém da iniciativa privada se interessar em participar da licitação para terceirização dos pontos turísticos?

* Com todo respeito, mas discordo desta colocação pouco feliz feita pelo prefeito no programa Café Interativo, apresentado por Pedro Bertozzi. O Turista vem a Poços sim, pelas suas belezas naturais, pelo seu clima, e também pelos pontos de passeio, onde pode contemplar a natureza e a própria cidade, como é o caso do alto da serra onde está o monumento ao Cristo Redentor.

* Não fosse assim, como justificar, por exemplo, a multidão que se dirigiu ao alto da serra em um dos nossos últimos feriados prolongados e que obrigou a prefeitura até a interditar o seu acesso? Isso para ficar apenas nesse exemplo onde os turistas tiveram que ir de carro porque o teleférico continua desativado e abandonado sem nada que comprove o motivo da paralisação do equipamento a não ser uma falha humana que causou um acidente já fazem dois anos?

* Além disso os turistas vinham a Poços atraídos também pelos seus eventos, como Festa Uai, Sinfonia das Águas, Festa das Nações, Julhofest e tantos outros que esta administração não deu sequência. Para não falar dos congressos, seminários e encontros de negócios que não acontecem mais, por uma simples razão, a cidade não demonstra interesse por esse tipo de evento.

* E temos ainda as nossas águas termais, razão maior de Poços de Caldas haver se tornado uma estância Hidromineral e que hoje também estão às moscas, caso das Thermas Antonio Carlos que não anda servindo sequer para “dar banho em paulistas”, como dizia, não faz muito tempo, um diretor da Codemge, estatal que administra o balneário. O turista vem a Poços por uma série de atrativos e até mesmo pela nossa gastronomia, meu caro prefeito, essa é a realidade.