* Outra declaração feita pelo prefeito, no mesmo programa e que gerou polêmica nas redes sociais: “Esse negócio de CND (Certidão Negativa de Débitos) não nos atrapalha em nada, é mais uma coisa burocrática, pode ver que a cidade está andando normalmente, as coisas acontecendo, as vezes as pessoas ficam pegando nisso, (falta da certidão), mas isso não altera em nada”, disse o prefeito. Se a CND não é importante, a Prefeitura deveria eliminar a exigência desse documento nas licitações. Não é mesmo?

* Segundo uma fonte que sabe das coisas, a prefeita da vizinha cidade de Andradas já decidiu que seu apoio na próxima eleição será mesmo para seu antecessor no cargo, Rodrigo Lopes. No campo federal, o preferido é Bilac Pinto, mas dependendo do andar da carruagem, pode até abrir mão e compor com um candidato de Poços, no caso Celso Donato, desde que ele se junte ao ex-prefeito de Andradas que é filiado ao DEM, legenda parceira na administração municipal.

* E por falar no secretário de governo sua pré-candidatura a deputado federal continua firme e será mesmo pelo PSDB. Na semana passada Celso Donato recebeu telefonema do vice-governador Paulo Brandt, que deixou o Novo e retirou para o PSDB, pedindo que ele permaneça no partido tucano e que seja candidato a deputado federal pela legenda.

* Ainda segundo a mesma fonte, o vice-prefeito, Júlio de Freitas (Tio Júlio), estaria sendo preparado para ser o sucessor de Sérgio Azevedo na Prefeitura na eleição de 2024. Na verdade, tem muita água para passar debaixo dessas duas pontes até as eleições de 2022 e 2024.

* O prefeito de Poços fez sucesso na reunião de prefeitos, organizada pela Associação de Municípios Mineiros (AMM), em Boa Esperança, no último final de semana. Contou como pegou uma prefeitura quebrada, organizou as finanças e até desenvolveu dois projetos importantes para auxiliar os prejudicados pela pandemia do coronavirus, o Poços Juro Zero e o Recupera Poços. Contou o milagre, mas não deve ter revelado o nome do santo milagreiro, o “Santo DME”, protetor dos nossos prefeitos desesperados, desde 2011, quando foram criadas as empresas municipais de energia elétrica. É graças a este “santo” que as finanças municipais continuam sendo salvas.

* O processo de abuso de poder econômico aberto na eleição municipal de 2020, aberto pela justiça em atendimento a denúncia formulada pelo Ministério Público contra o prefeito Sérgio Azevedo, o vice, Júlio de Freitas, e que esteve paralisado durante desde o final do ano passado até agora por conta da pandemia, terá sequência nesta quarta-feira com a inquirição das testemunhas arroladas pelas partes (Representante e Investigados) às 13:30 horas, a ser realizada virtualmente, nos termos da Resolução CNJ nº 322, de 01/06/2020.

* A filiação do DMAE a uma agência reguladora é um requisito obrigatório para que a autarquia municipal responsável pelo saneamento básico no Município possa se candidatar a receber verbas e possa pleitear financiamentos com instituições do governo. A Câmara aprovou ontem a filiação a ARISB-MG e a partir da filiação o DMAE ficará sujeito a regulação da referida agência e assim como o DME segue normas determinadas pela ANEEL. Com isso acaba a liberdade dos prefeitos, alguns fazendo média em prejuízo dos próprios consumidores, em conceder ou não reajuste no preço das tarifas de água e esgoto.

* Esta é a manchete estampada na edição desta quarta-feira pelo jornal O Tempo e com a qual todos nós concordamos. Até porque em Poços, o preço cobrado pelo combustível em alguns postos está maior do que o praticado em Belo Horizonte.