* Quem assistiu pela internet a sessão ordinária da Câmara Municipal desta terça-feira estranhou o fato de os vereadores de oposição se manterem calados, sem muitos apartes nas falas dos colegas que integram a bancada situacionista. O silêncio dos oposicionistas pode ter sido um indicativo de que eles já tinham sido informados sobre a parecer do Ministério Público de Contas que considera o pagamento de férias ao prefeito, vice e secretários legal e que eles têm sim, direito ao 13º salário.

* Como o Café Concerto está fechado, à espera de uma nova licitação para escolha do futuro concessionário, cabe a Guarda Municipal redobrar a atenção para que não ocorra o mesmo com outros prédios e equipamentos públicos parados que foram alvos de vandalismo. Estando localizado em uma área verde com pouco movimento à noite, se não houver vigilância permanente em breve teremos o desprazer de registrar furtos de móveis, fios e tudo mais no interior da edificação que é tombada pelo patrimônio histórico.

* Sérgio Azevedo escolheu muito bem a cidade de Jundiaí para a troca de experiências administrativas, entre elas a de videomonitoramento no trânsito e locais públicos. Além de ser destaque nacional no setor público municipal, a cidade possui uma das guardas municipais mais antigas e eficientes do país. O prefeito de Poços e seus acompanhantes ficaram satisfeitos com a recepção e a vontade demonstrada pelo jovem prefeito Luiz Fernando e sua equipe de governo na recepção aos irmãos poços-caldenses.

* A secretaria de educação está preparando uma resposta que será enviada ao legislativo explicando os motivos do atraso para a prestação de contas junto ao SIOPI – Sistema de Informações sobre Orçamentos Públicos em Educação. Vale dizer que o legislativo também teve a sua parcela de culpa no atraso.

* A Camil Alimentos S.A. anunciou nesta segunda-feira a compra da Pastifício Santa Amália, empresa mineira com sede em Betim. O acordo marca a entrada da companhia no ramo de massas, juntando-se aos segmentos do arroz, dos pescados e do açúcar. O acordo com a Camil também repassa a totalidade de ativos da companhia mineira, incluindo a planta industrial localizada em Machado com capacidade produtiva de aproximadamente 105 toneladas por ano, além de seis centros de distribuição e mais de 950 colaboradores.

* O diário oficial do município publicou na edição de ontem, o decreto que prorroga até 31 de dezembro de 2021, o prazo de vigência do estado de calamidade pública decorrente da pandemia de COVID-19. Justificando a prorrogação, o decreto cita o fato de que OMS continuar reconhecendo a pandemia, além da prorrogação do estado de calamidade m Minas, assinado pelo governador Romeu Zema.