* Ficou mal para os vereadores, principalmente os de oposição, que instalaram, de forma precipitada uma comissão de inquérito logo no início desta legislatura, para apurar irregularidades nos pagamentos de férias para os agentes políticos. Antes de criar a CPI os vereadores deveriam ter se certificado de que os pagamentos feitos aos agentes politicos na gestão anterior foram feitos sem respaldo da lei.

* Segundo o Ministério Público de Contas, os secretários municipais têm não só direito a férias, como também ao 13º salário. Considerando que o cargo exige dedicação integral e o salário líquido pouco mais de R$ 7 mil, o pagamento de mais um salário anual não é um exagero. O salário de vereador é maior (11 mil) e não exige dedicação integral nem o comparecimento diário ao serviço.

* Quanto ao salário do prefeito, este sim, é exagerado, quase R$ 30 mil, o mais alto pago entre todas as prefeituras da região sul-mineira e mais alto até mesmo que o salário que recebe o governador, embora Zema tenha aberto mão do salário. No final da atual legislatura os vereadores deveriam reduzir o salário do chefe do executivo e do vice e reajustar o salário dos secretários que além de tudo ainda correm sério risco como ordenadores de despesas.

* Título de cidadania deveria ser uma honraria com que o homenageado é agraciado pelos relevantes serviços prestados a cidade e pelo fato de ter se destacado por um trabalho que trouxe benefício inquestionável para a cidade onde ele decidiu fixar residência.

* Pois bem, uma proposta apresentada esta semana na Câmara Municipal por uma vereadora, propõe a concessão do título de cidadania a um jovem que “prestou e presta relevantes serviços como jovem agente político que se destaca pela sua vocação e propósito por transformação, vê a política como arte de resolver os problemas das pessoas”. E mais, “sua simplicidade, inteligência e empatia dialoga com um mundo participativo, colaborativo e humanista, deixando um legado para o Município”. A proposta agora segue para análise das comissões permanentes. Com todo respeito…

* Muito legal e com bom resultado foi a visita que o prefeito Sérgio Azevedo, acompanhado do vice Júlio de Freitas e alguns secretários, fez ontem a prefeitura de Jundiaí, cidade-irmã de Poços de Caldas, tendo como objetivo a troca de experiências administrativas. A comitiva foi recebida com toda atenção pelo prefeito Luiz Fernando (PSDB) e por sua equipe de governo. Serviu também para aproximar ainda mais as duas cidades que são consideradas como irmãs por meio de decretos assinados na primeira gestão do prefeito Sebastião Navarro.

* Para fazer justiça, o Café Concerto, que foi fechado pela atual administração e está aguardando novoprocesso licitatório, nasceu de uma sugestão dada pelo arquiteto João Neves e pela controller Salma Neder, quando do projeto para a reforma e revitalização do Parque Municipal José Affonso Junqueira, nossa principal área verde, na gestão do prefeito Geraldo Thadeu. Naquele local funcionava a Biblioteca Municipal Centenário que foi transferida para a Urca.