* Foi por considerar demorada a burocracia para instituir o sistema de cartão de crédito para a merenda que os vereadores da bancada do prefeito votaram contra uma moção apresentada pela oposição na sessão de terça-feira, reclamando da demora. Mas, afinal de contas, os nobres vereadores não estudaram o projeto antes de aprova-lo? Se sabiam que a coisa seria demorada, por se tratar de alimento para merenda a ser comprado por meio de cartão de crédito, porque não fizeram alterações na proposta antes de aprovar o projeto?

* O governador Romeu Zema resolveu ontem, junto ao Tribunal de Justiça do Estado, mais uma dívida bilionária herdada do seu antecessor o caloteiro Fernando Pimentel que no ano de 2015 se aproprio de R$ 5 bilhões em depósitos judiciais. A lei que autorizou a transferência do dinheiro foi considerada inconstitucional e ontem Zema assinou acordo para devolver ao TJMG R$ 7 bilhões, com jutos e correção, que começará a devolver a partir de 2022 no prazo de seis anos.

* José Damião, o secretário de obras, decidiu assumir a falha na demora das reformas e adequações nos prédios escolares, antes do reinício das aulas presenciais, o que aconteceu no último dia 3 de agosto. Disse que foram muitas as reformas e não deu tempo de conclui-las a tempo. Huuummm!!!!

* O secretário, cujo desempenho à frente da secretaria merece elogios, e não é de hoje, assumiu também a responsabilidade pelo calçadão (também conhecido por ciclovia) que está sendo construído ao longo das avenidas João Pinheiro e Mansur Frahya. Como a pista não é rebaixada para separar os ciclistas dos pedestres, Damião garante que isso não atrapalha em nada e nenhum acidente será registrado por conta desse detalhe. Então tá.

* Ao usar a tribuna da Câmara na última sessão, a vereadora Regina Cioffi pediu que fosse exibido um vídeo da Polícia Militar de Santa Catarina, com pedidos reais de socorro de mulheres vítimas de agressão. Após, Regina saiu em defesa do projeto Botão do Pânico, que tramita naquela Casa. “A primeira coisa que acontece é pegaro telefone da mulher, jogar no chão e quebrar para não se comunicar. O botão do pânico vem para resolver este problema. Se joga no chão o telefone, vai se comunicar como? Peço aos colegas que aprovem a proposta, pediu Regina.

* Questionada sobre a falta de correção dos salários dos professores que está abaixo do piso, a presidente do Sindserv, Marieta Carneiro, disse que foi negociado no acordo coletivo a necessidade de readequação salarial do piso nacional do magistério, mas que até o momento não houve sinalização espontânea por parte do Executivo de fazer a correção.  “O Sindiserv vai entrar com ação judicial pedindo que o piso nacional do magistério seja corrigido baseado na lei federal”, garantiu.

* Conforme definido na última reunião, os membros da CPI de pagamento de férias aos agentes políticos, da Câmara Municipal, ouvem nesta quinta-feira, a partir das 8h30, o servidor Eduardo Navarro de Pinho, do setor de Recursos Humanos da Prefeitura. O pedido de convocação foi feito pelo vereador Tiago Braz, presidente da CPI, por entender que a participação do servidor poderá esclarecer algumas dúvidas que ainda pairam sobre o tema.

* A Câmara dos Deputados aprovou, na noite desta quarta-feira (11), por 339 votos a 123, o texto-base da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 125/11, que prevê mudanças nas regras eleitorais.  Conforme acordo entre a maior parte dos partidos, foi retirado do texto da relatora, deputada Renata Abreu (Podemos-SP), o uso do distritão puro nas eleições de 2022 para deputados. O tema foi votado como destaque, assim como outros pontos do texto. As coligações partidárias também estão de volta.