* O chefe do executivo também informou que está sendo finalizado o projeto de mudança de regime dos servidores, que será enviado à Câmara. “A Câmara precisa de um prazo para analisar e assim que aprovar nós daremos andamento nos concursos públicos”, informou, acrescentando que a ideia é que a partir de janeiro de 2022 o executivo esteja liberado para realizar os concursos. “Vamos fazer para quase todas as carreiras da Prefeitura. As pessoas já devem ir se preparando, não espere publicar o concurso para se preparar, porque não dará tempo. Vá se preparando, estudando, porque a oportunidade vai vir”, esclareceu o prefeito.

* Atendendo a pedido, o presidente da Fundação Jardim Botânico, Valdir Sementile, exonerou do cargo de Diretora do Departamento Administrativo e Financeiro, a sra. Juliana Ferreira da Silva, nomeando para o seu lugar Sebastião Alves Ferreira. O ato foi publicado na edição de ontem do diário oficial.

* O derretimento crescente da popularidade de Jair Bolsonaro diante das falácias sobre a pandemia e aos ataques sem provas ao sistema eleitoral está sendo ampliado para setores que elegeram o atual presidente e deram suporte ao atual governo até pouco tempo atrás.Pesquisa Atlas divulgada pelo jornal El País, mostra que o índice de rejeição ao presidente – de 62% no geral – é ainda maior entre católicos, nicho onde 69% se coloca contrário a Bolsonaro. O mesmo índice se repete na faixa mais pobre – entre aqueles que ganham até R$ 2 mil – e entre aqueles com salários acima de R$ 10 mil, parcela onde Bolsonaro já exerceu forte influência.

* A proximidade do coordenador regional do partido Novo, André Vilas Boas, com o vereador Flavinho, filiado ao PSDB e líder do prefeito na Câmara, tem no fundo a esperança do representante do Novo de ter o vereador como candidato a deputado estadual e nesse caso, seu companheiro de campanha agora que André deve mesmo disputar vaga na Câmara Federal. O “namoro” entre os dois não está sendo visto com bons pelos lados da casa amarela.