* O vereador DineyLenon afirmou ontem, em sua página na rede social Facebook, que não sabia que para ser “governo técnico” não precisava ter coração. Disse que com 82% de leitos de UTI para covid ocupados no município e quase 100% dos leitos para demais casos ocupados na Santa Casa, a Secretaria de Administração acha que uma merendeira tem que pegar ônibus lotado para cumprir horário num prédio praticamente vazio. “Há casos em que ‘parar’ gera polêmica, envolve sobrevivência e devem ser considerados, mas casos como de servidores administrativos da Prefeitura podem e devem ser urgentemente considerados”, defendeu, questionando qual o sentido de tal medida. O vereador está coberto de razão.

* Nem tudo vai mal. Pelo andar da carruagem, o prefeito pode dormir despreocupado no que diz respeito aos processos abertos pelo Ministério Público para cassar o registro da sua candidatura na eleição de novembro passado. As audiências dos processos foram agendadas pela Justiça Eleitoral para o mês de agosto, mesmo assim pelo sistema virtual. Considerando que o julgamento será de primeira instância, caso o prefeito seja condenado poderá ainda recorrer para a segunda e se preciso até mesmo para a terceira instância. Até a decisão final, estará no fim do mandato. Ou não?

* As manifestações na porta de entrada da prefeitura são comuns e muitos prefeitos passaram pelo mesmo problema. A de ontem, no entanto, deve ter sido a primeira vez que o chefe do executivo não desceu as escadarias para conversar com os manifestantes. Eloisio foi o último deles e mesmo enfrentando vaias, foi lá, pessoalmente para dialogar com as pessoas que protestavam.

* No episódio de ontem, o mais interessante é que depois de muitas horas, o prefeito recebeu três dos manifestantes. Pelo que se sabe, dois deles não são proprietários e nem trabalham no comércio.

* Um questionamento feito pelos manifestantes de ontem na porta da prefeitura diz respeito ao funcionamento da zona azul. Se o comércio está fechado, porque a o estacionamento rotativo continua funcionando e cobrando dos motoristas? Realmente, um absurdo.

* “Aqui em Poços o negócio ficou diferente: semana passada chegaram vacinas para 75 a 79 anos (2.340 doses) e estão vacinando com elas o pessoal de 79 a 82. Será que agora vão seguir a regra?”, do leitor Sebastião Melo.