* Sábado à noite, em conversa com este jornalista no Pálace Hotel, o ex-governador e hoje senador Antonio Anastasia confirmou que deve mesmo disputar a reeleição para o Senado. Ele está cotado para assumir o cargo de ministro do Tribunal de Contas da União (TCU), mas, pelo que disse, prefere se candidatar para mais um mandato e com isso colaborar com seus companheiros de partido. Anastasia deixou o PSDB e hoje está filiado ao PSD, sendo uma das estrelas da legenda presidida por Gilberto Kassab.

* A decisão do senador em ser candidato a reeleição abre caminho para que o deputado federal Bilac Pinto, presidente do DEM em Minas, seja o candidato a vice do prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD) na disputa pelo governo do estado. Na sexta-feira, Bilac Pinto esteve em Santa Rita do Sapucai (sua terra natal), recepcionando o senador Rodrigo Pacheco (DEM), presidente do Senado.

* Em Santa Rita, Bilac Pinto aproveitou o evento para bater um longo papo com o ex-prefeito de Andradas, Rodrigo Lopes (MDB), pré-candidato a deputado estadual e com a comitiva de Poços, representada por, Waldemar Lemes, Silvio José Ferreira e Geraldo Thadeu (foto).

* Amigo de Pacheco e seu cabo eleitoral em Poços de Caldas, desde os tempos em que ele era deputado, Waldemar recebeu um telefonema do senador antes do evento em Santa Rita do Sapucai. Pacheco disse que esta era a primeira vez que visitava a região na condição de presidente do Senado e por isso fazia questão da presença do amigo e ex-vereador no evento.

* O empresário Silvio José Ferreira, que mantem uma relação de amizade com o senador Rodrigo Pacheco, aproveitou o evento para rever o amigo e colocar a conversa em dia. Silvio não esconde o desejo de entrar para a política e avalia convite de lideranças para se lançar candidato a deputado, mas diz que ainda não está nada decidido porque anda muito ocupado cuidando das suas empresas e do escritório de consultoria.

* Durante o seu primeiro discurso na Câmara Municipal, em janeiro de 2017, quando estava assumindo o comando do executivo municipal, o prefeito Sérgio Azevedo, ao fazer um balanço da situação financeira em que estava recebendo a prefeitura, afirmou que o déficit chegava a R$ 150 milhões, sem contar a dívida com o INSS que na época estava na casa dos R$ 15 milhões. Ao se referir a dívida com a Previdência, o prefeito deu pouca importância, dizendo que “essa a gente não paga, empurra com a barriga”.

* Na semana passada a chefia do executivo encaminhou para a Câmara resposta a um pedido de informações, formulado pelo vereador Silvio, do MDB a respeito da dívida do Município para com a Previdência Social. Chegou a resposta: Poços deve hoje ao INSS R$ 117.771.322,39. Dinheiro que deveria estar nos cofres da Previdência para pagar o salário dos aposentados e prestar uma assistência digna aqueles que contribuíram com desconto mensal em seus salários por mais de 30 anos.